Garota é morta por namorado após viajar 7 mil km para conhecê-lo

A canadense Ashley Wadsworth, de 19 anos, foi até a Inglaterra para enfim se encontrar com Jack Sepple, que havia conhecido online

Por Bruna Nunes 4 fev 2022, 12h42

Uma adolescente canadense de 19 anos, chamada Ashley Wadsworth, foi assassinada na última terça-feira (1º), depois de viajar até Essex, na Inglaterra, para se encontrar com o namorado virtual. Faltando apenas dois dias para voltar para casa, o corpo da jovem foi achado no flat que dividia com o companheiro, Jack Sepple, de 23 anos. 

Foto da jovem Ashley Wadsworth na ponte da torre, na Inglaterra. Ela é alta, branca, cabelos castanhos e lisos.
Ashley posando na Tower Bridge, um dos cartões postais de Londres Facebook/Ashley Wadsworth/Reprodução

De acordo com a polícia local, os vizinhos acionaram as autoridades após ficarem preocupados com barulhos estranhos vindos do apartamento. Os oficiais contaram que os paramédicos se esforçaram para salvar a jovem, mas ela estava em estado grave. 

Ashley viajou 7 mil km para visitar o companheiro, que conheceu online, segundo relatos da BBC news. Ela estava na cidade inglesa desde novembro do ano passado e, nas redes sociais, compartilhava declarações e fotos com Jack. 

Foto da jovem Ashley Wadsworth com seu namorado Jack. Ela é branca, cabelos castanhos e lisos. Ele é mais alto que a garota e possui as características físicas, semelhantes.
Ashley e Jack juntos em viagem Facebook/Ashley Wadsworth/Reprodução

Um vizinho, que não quis se identificar, concedeu uma entrevista ao Daily Mail e relatou alguns detalhes do resgate: “Eles trouxeram a jovem para a estrada do lado de fora da propriedade e continuaram tentando salvá-la. Estavam falando sobre ferimentos por facadas. Parece que ela foi vítima de um ataque frenético. Os médicos não conseguiram salvá-la. Foi horrível de assistir!“.

Jack foi preso e, aparentemente, não há mais suspeitos a serem procurados – mas a cena do crime ainda está sendo investigada. Na última quarta (2), os peritos explicaram que ainda estão fazendo uma análise do que aconteceu, pela segurança geral: “Estamos trabalhando para reconstituir o crime. Este incidente ocorreu em uma área residencial, então eu sei que é provável que cause preocupação para aqueles que moram nas proximidades, mas fizemos uma prisão rápida e não acreditamos que haja mais risco“.

Charmaine Wadsworth, madrasta da vítima, lamentou a tragédia para a rede CBC: “Estamos apenas lembrando o quão forte, inteligente e espirituosa Ashley era e quão gentil ela era e como ela estava sempre dez passos à frente de todos nós”.

Continua após a publicidade

Publicidade