Folia sustentável: 7 jeitos simples de tornar seu Carnaval mais ecológico

Porque não adianta militar contra o canudinho plástico e continuar jogando garrafas pet no chão.

Por Isabella Otto 16 fev 2019, 10h01

Nunca antes tinha se falado tanto sobre ações de preservação ao meio ambiente e alternativas sustentáveis que nos libertem de antigos hábitos nocivos, isso porque talvez nunca antes tivéssemos chegado ao ponto de estarmos tão em dívida com a natureza. E para curtir a folia sem culpa (ou com menos culpa), que tal prestar atenção em pequenos gestos que podem fazer uma mudança danada no planeta?

Priscila Zambotto/Getty Images

1. Faça uso de embalagens plásticas de maneira consciente
Se você não tiver seu próprio copo ou garrafinha de inox, ou achar complicado demais levá-los para os bloquinhos, tente ser consciente na hora de produzir seu lixo. Veja se existe alguma possibilidade de você reutilizar aquela garrafa de plástico e se, de repente, há bebedouros para você encher o recipiente novamente, assim não precisa sempre comprar um novo. Caso seja impossível, tenha então cuidado para descartar corretamente o lixinho e tente sempre procurar lixeiras de material reciclável. Não tem jeito e precisa usar canudinho? Ok. Agora, para que pegar dois quando você pode pegar apenas um? Não exagere. Consumo consciente já!

  • 2. Não adianta dispensar o canudinho plástico mas continuar jogando lixo na rua
    Algumas pessoas tentam desvalidar a militância em prol dos canudos de inox dizendo que muita gente se preocupa demais com os canudinhos plásticos enquanto continua jogando lixo na rua. Pode acontecer? Pode. Mas não dá para desvalidar toda a causa por isso. Se toda pessoa fosse mais consciente sobre seu próprio lixo, as ruas não seriam tão sujas, assim como as praias, as praças, os rios… Cuide do seu lixinho. Folia e curtição não são desculpas para você ser ou ser tornar uma pessoa desrespeitosa com o planeta e com os outro ao redor.

    3. Opte pelo glitter biodegradável
    Várias marcas já estão trabalhando com opções de glitter biodegradável, que é menos nocivo para o meio ambiente. Afinal, purpurina e suas variações convencionais nada mais são que microplásticos. Se a folia for na praia, então, passe longe! Desde a década de 60 há relatos de seres vivos marinhos que foram afetados negativamente com o produto. “Eles são feitos de petróleo e liberam continuamente substâncias químicas presentes na sua matriz plástica, além dos pigmentos sintéticos, que dão sua cor e brilho”, complementou o biólogo Cláudio Gonçalves em entrevista a Superinteressante. As opções biodegradáveis ainda são mais caras, mas são mais seguras para você e para a natureza. Caso ainda insista em usar um glitter convencional, nada de entrar no mar com ele no corpo e, na hora do banho, coloque uma folha de papel toalha no ralo do banheiro, para que todo e qualquer microplástico fique retido nela e não escoe por aí.

    Wundervisuals/Getty Images

    4. Redobre sua atenção caso passe o Carnaval perto do mar
    Esse conselho vale para qualquer época do ano e se estende para o campo também. Qualquer situação em que você esteja mais diretamente em contato com a natureza merece maior atenção, pois os danos humanos que podem ser causados são muito mais intensos. A expressão “oceanos de plástico” existe por uma razão. Anualmente, cerca de 25 milhões de toneladas de lixo são descartadas no mar, sendo que, segundo o PNUMA (Programa Ambiental das Nações Unidas), 90% desses detritos é plástico. Tente sempre substituir garrafas, copos e canudos plásticos por opções biodegradáveis, repense se aquela sacolinha de lixo não pode ser substituída por uma ecobag e, mais uma vez, cuide do seu lixo.

    5. Dispense serpentinas e confetes laminados
    Não faltam na internet receitinhas de como criar serpentinas e confetes sustentáveis, feitos com folhas secas, por exemplo. A gente sabe que nem sempre é tão simples fazer esse DIY e, por causa disso, muitos acabam investindo em produtos comercializados em larga escala – principalmente, os organizadores de festas de Carnaval. Se não tiver como fugir, opte sempre pelos confetes de papel, que, apesar dos pesares, ainda fazem menos mal ao meio ambiente que os laminados. Spray de espuma também é um item que já passou da hora de ser aposentado.

    Fabian Krause/EyeEm

    6. Vá “em turma” e use transporte público (caso a cidade tenha, é claro)
    Vai descer pra praia ou viajar para o interior? Junte a galera e encha o carro. Se não tiver carteira de habilitação, o mesmo vale para aplicativos de transporte. Será que não dá para você e seus amigos se encontrarem em algum lugar e irem todos juntos para a festa? Mais dinheiro economizado, menos poluição emitida por automotivos.

    7. Use a criatividade para criar sua própria fantasia
    O conceito de moda sustentável está cada vez mais em alta no mercado. Ele prega, basicamente, a ideia de que é possível viver em uma sociedade capitalista consumindo conscientemente roupas e acessórios. E a moda sustentável também contribui para o meio ambiente. Por isso, antes de jogar fora aquela fantasia que você usou uma única vez, que tal tentar customizá-la e transformá-la em outro figurino? Será que há mesmo a necessidade de comprar aquela item que você viu? Não tem algo em casa que possa ser improvisado?

    E aí, tem mais alguma dica de como tornar o Carnaval mais sustentável? Nessa marchinha, vamos todos juntos!

    Continua após a publicidade
    Publicidade