‘Elas estão fantasiadas’: vídeo questiona estereótipos de gênero nas profissões

Para os alunos, só existiam bombeiros homens.

Por Marcela Bonafé 23 Maio 2016, 20h00
Quando você era criança e ouvia falar de bombeiros, médicos e pilotos de avião, o que vinha à sua mente? Um homem ou uma mulher? Em uma escola britânica, professoras pediram para que seus alunos desenhassem esses profissionais da forma como imaginavam. Enquanto 61 crianças fizeram personagens masculinos, apenas 5 ilustraram mulheres.
 
 
Não à toa, quando uma cirurgiã do Sistema Nacional de Saúde, uma pilota da Força Aerea Real e uma bombeira da Brigada de Incêndio londrina entraram na sala, a reação dos alunos foi unânime: surpresa! Eles chegaram a achar, inclusive, que elas estavam fantasiadas. Olha só:
 
https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fempodereduasmulheres%2Fvideos%2Fvb.282908221783173%2F1084718574935463%2F%3Ftype%3D3&show_text=0&width=560
 
É importante lembrar que, em inglês, as palavras bombeiro (firefighter), piloto (pilot) e cirurgião (surgeon) não têm gênero, ou seja, servem para ambos os sexos. O vídeo conta, então, que os estereótipos de gênero são formados entre 5 e 7 anos, o que explicaria as crianças terem retratado os profissionais como homens.
 
A situação da escola mostra perfeitamente como esses dados são percebidos no cotidiano, né?! Como você acha que teria desenhado se fosse uma das crianças do vídeo?
 
Publicidade