Covid: França identifica nova variante com mais mutações que a Ômicron

Apesar do cenário parecer catastrófico, OMS diz que cepa não representa alto risco; entenda!

Por Isabella Otto 6 jan 2022, 14h45

Pesquisadores franceses identificaram no país uma nova variante do coronavírus, apelidada até agora de IHU, sigla do Instituto Hospitalar Universitário de Marselha, onde a descoberta foi feita.

Cepa de Covid-19

Derivada da B.1.640, a cepa tem mais de 46 mutações, um número assustador visto que a Ômicron, até agora variante mais transmissível da Covid-19, possuí mais de 30 mutações.

Ainda sabe-se muito pouco sobre ela e a OMS disse que a cepa ainda não representa grandes riscos, uma vez que foi identificada apenas na Provença-Alpes-Costa Azul, região litorânea da França.

Apesar de estudos estarem sendo publicados agora, a Organização Mundial da Saúde informoi também que a cepa foi identificada pela primeira vez em novembro, tendo altas chances de ter infectaso muita gente – mas não foi o que ocorreu.

Bom, pelo menos uma boa notícia, não? Porque, simceramente, ninguém aguenta mais mesmo…

Continua após a publicidade

Publicidade