Com quantos anos é possível começar a investir e como começar?

Parece muito complicado e um papo meio de adulto, mas é algo que você pode fazer por si mesma já na adolescência

Por Maiara Xavier 11 nov 2021, 16h44

Bora falar de um assunto muito legal e importante na nossa vida financeira, que são os investimentos?! Ganhar e guardar dinheiro é muito bom, mas investir é melhor ainda. Por quê? Porque os investimentos fazem valer todo nosso esforço!

Aprendemos a fazer dinheiro e a guardar, mas se dependermos somente desse esforço para acumularmos uma boa quantia, o tempo para chegar lá será muito maior… A seguir, tiro* as principais dúvidas sobre a questão:

1. O que é preciso para começar a investir?

De uma forma muito simples e acessível, hoje em dia você só precisa de um CPF e uma conta em uma corretora de valores, banco digital ou conta de rendimento. Menores de 16 anos devem ser representados por um dos pais ou responsáveis legais. Jovens de 16 ou 17 anos podem abrir uma conta, devendo ser assistidos por um dos pais ou responsáveis, caso não sejam emancipados.

Foto da mão direita de uma mulher negra, vestindo uma blusa verde, jogando umas moedinhas em um pote, também verde
We Are/Getty Images

2. Qual é o valor mínimo para começar?

Dá pra acreditar que hoje é possível começar a investir com apenas R$1?! É isso mesmo! Você pode começar com apenas esse valor em bancos e investimentos seguros, sem sair de casa, de forma prática e rápida.

3. Quais são os melhores investimentos?

Quando estamos começando no mundo dos investimentos, precisamos priorizar nossa reserva financeira, que é uma quantia para nos dar segurança em meio a imprevistos e oportunidades que podem aparecer de última hora. Às vezes, você recebe um convite imperdível, teus pais até te liberam para ir, mas não têm dinheiro para pagar para você. Neste caso, você pode olhar para eles e dizer: “Isso não é problema, porque tenho minha reserva financeira!”.

Continua após a publicidade

Essa reserva é uma quantia inicial que você investe em lugares que te permitem tirar assim que precisar, mesmo que seja de última hora, sem ter prejuízo, ou seja, sem perder parte do dinheiro que investiu.

Veja só as opções que existem:

  • Tesouro Selic: é um investimento superconservador, que faz parte do Tesouro Nacional. Quando você coloca seu dinheiro lá, na prática, você está emprestando dinheiro para o governo e, em troca, ele te devolve com juros. Para investir neste título, é necessário ter uma conta numa corretora de valores e, consequentemente, uma conta bancária também. Quando precisar retirar seu dinheiro, tem que ser em dia útil. Seu pedido será processado e irá para sua conta na corretora no dia útil seguinte.
  • CDB de liquidez diária: essa outra opção aqui é disponibilizada pelos bancos. Neste caso, você está emprestando dinheiro para ele e, do mesmo jeito, devolvem pagando juros. Você pode investir através de uma corretora de valores ou diretamente pelo banco. Caso o banco quebre, seu dinheiro está protegido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que é uma associação civil que banca seus investimentos em caso de falência do banco. Ele cobre até R$ 250 mil! Então, dá pra ficar tranquila por um tempo, né? É uma modalidade que também permite a retirada do dinheiro antes do vencimento, sem correr o risco de perder a grana investida. Você só consegue sacar seu dinheiro em dias úteis. Se for em horário comercial, o dinheiro entra na hora na sua conta do banco ou corretora de valores. Não aceite um CDB de liquidez diária com rentabilidade menor que 100% do CDI.
Foto com vários cofrinhos de porco rosa alinhados na diagonal
DBenitostock/Getty Images
  • Contas de Rendimento: essa opção que separei pra você é uma alternativa mais recente, porém está caindo no gosto da galera, principalmente dos jovens, pela simplicidade. Você abre conta pelo celular, através do aplicativo que escolher (porque existe mais de uma opção), passa o dinheiro pra lá e, em alguns aplicativos, o dinheiro já começa a render. Em outros, você só precisa enviar seu dinheiro para uma conta de rendimento lá dentro do aplicativo e pronto! O rendimento começa. É prático pra tirar quando precisar, mas não possui a mesma proteção do FGC. Alguns aplicativos oferecem outras funcionalidades junto, que ajudam a organizar seu orçamento e planejar seus objetivos e são bem intuitivos de usar. De forma geral, a maioria vai render 100% do CDI.
  • Poupança: essa daqui você provavelmente já ouviu falar. Ela é a mais popular e conhecida no mercado. Entre todas as opções que comentei, essa daqui é a que rende menos. Mas é superprática e acessível para começar. Também tem proteção do FGC, como comentei no CDB de liquidez diária.

Com essas informações, agora partiu abrir uma conta e investir sua grana! Aproveite essa oportunidade de aumentar seus resultados financeiros gradativamente e de forma muito consciente.

 

*Maiara Xavier é mentora de desenvolvimento de mulheres que buscam independência financeira e criadora do método “a Rica Simplicidade”

Continua após a publicidade

Publicidade