Cistite de Lua de Mel: o que é, sintomas, causas e tratamento

A cantora Anitta contou que sofre da cistite de lua de mel, também conhecida como cistite pós-sexo; saiba mais sobre a inflamação

Por Isabella Otto Atualizado em 4 jan 2022, 18h21 - Publicado em 8 jan 2022, 10h01

Os quadros de cistite podem piorar durante a lua de mel e também durante o Verão, que começou no último dia 21. Mas por que isso acontece? O que é a cistite? É a mesma coisa que infecção urinária? Para esclarecer essas dúvidas, conversamos com o Dr. Alexandre Silva e Silva, formado pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos e referência em vídeo-laparoscopia e cirurgia robótica

O que é cistite?

A cistite é uma inflamação da bexiga devido à infecção por bactérias, mas comumente a Echeríchia Coli, que frequentemente habitam a região perineal, entre a vagina e o ânus. Durante as relações sexuais, devido à fricção intensa entre os órgãos sexuais, pequenos traumatismos, até mesmo imperceptíveis na vagina e uretra, podem ser colonizados por algumas bactérias levadas da região perineal durante as relações.

Foto das pernas de uma moça que está sentada em um vaso sanitário. Ela está com os joelhos juntos, como se estivesse sentindo dor para urinar
Mintra Kwthijak/Getty Images

Por que a cistite da lua de mel tem esse nome?

Em um momento que envolve tanta paixão, como a lua de mel, as relações são mais frequentes e intensas, e tendem a facilitar esse tipo de infecção. Por isso, o nome de cistite da lua de mel. As mulheres estão mais suscetíveis a esse tipo de infecção por terem a uretra bem mais curta que a dos homens, facilitando o acesso dessas bactérias à bexiga e causando o problema. Quanto mais relações ela tiver em um menor espaço de tempo, maior a probabilidade de a cistite acontecer.

+: Infecção urinária tem ligação com relação sexual? Como evitar?

Continua após a publicidade

Como funciona o diagnóstico?

O diagnóstico começa pelos sintomas. A mulher passa a ter mais vontade de urinar do que o habitual e, quando vai ao banheiro, a quantidade de urina é menor e, em algumas vezes, nem sai nada. Esses episódios envolvem dor ao urinar e/ou ardência, e a urina pode apresentar um pouco de sangue. Nos casos em que os sintomas persistirem, vale a investigação através de exame de urina tipo 1 com bacterioscopia e cultura de urina para identificação da bactéria e se necessário, a introdução de antibiótico terapia adequada prescrita pelo médico responsável pela paciente.

Como diminuir os quadros de cistite?

Uma tentativa de diminuir a ocorrência dessa cistite pode ser o desenvolvimento do hábito da mulher urinar logo em seguir às relações sexuais e o aumento da hidratação com água e sucos, cerca de 2 litros por dia. O aumento do número de micções dificulta a colonização da bexiga pelas bactérias. É muito comum que as mulheres diminuam a ingestão de líquidos quando tem cistite, por receio da dor ao urinar, agravando o quadro. O ideal é exatamente o contrário! Quanto mais ela beber água, mais ela urina e mais “lava” o trato urinário, diminuindo assim as chances de infecção.

Como evitar a cistite no Verão?

Bactérias adoram o ambiente úmido da região íntima feminina. Na época do calor, em que transmiramos mais e, ás vezes, ficamos com o biquíni molhado durante dias, quadros de cistite também podem ocorrer. Tome bastante água, invista no suco de cranberry, que regula o pH vaginal, tente não usar calças muito apertadas, evite permanecer com o biquíni molhado e durma sem calcinha.

Cistite e infecção urinária são a mesma coisa?

Não, apesar dos sintomas serem bastante parecidos, como a vontade constante de urinar e ardência durante o ato, a cistite é uma inflamação da bexiga, que pode vir a se tornar uma infecção, se não tratada. Em contrapartida, a infecção urinária abrange todo o trato urinário, dos rins à uretra.

Continua após a publicidade

Publicidade