Ciclo menstrual: suas fases e os cuidados necessários em cada uma delas | Capricho

Ciclo menstrual: suas fases e os cuidados necessários em cada uma delas

Informação é essencial para entendermos nosso corpo e sermos mais confiantes, seguras e saudáveis

Por Abril Branded Content Atualizado em 8 out 2020, 16h37 - Publicado em 9 out 2020, 11h30

Há um período no mês em que o corpo das mulheres passa por diversas mudanças: alteração na textura da pele, queda no cabelo e até alterações de humor. Apesar de cada pessoa reagir de uma forma diferente, algumas reações do nosso organismo acabam sendo iguais e muito comuns para a maioria. O ciclo menstrual é composto por ases, por isso é superimportante saber o que acontece em cada uma delas para entender o seu corpo e se sentir mais segura.

O que é menstruação?

Primeiro, é importante compreender o que é a menstruação. Ela representa os anos férteis da vida da mulher, que se iniciam na adolescência e duram até a menopausa. Quando o ciclo menstrual é regular, mensalmente, depois da primeira vez que a mulher menstrua, ela ovula. Quando o óvulo não é fecundado, a mulher menstrua para limpar o útero, isto é, ela libera sangue e tecido uterino.

Quanto tempo dura o ciclo menstrual?

Pode durar de 25 a 35 dias, mas a maioria das mulheres tem ciclos de 28 dias. Conte a partir do primeiro dia da menstruação até o último dia antes de descer de novo. Mas isso não significa que em todos os dias você esteja fértil.

Como é o ciclo menstrual?

O ciclo menstrual é dividido em fase folicular (antes da ovulação) e fase lútea (depois da ovulação). A segunda etapa possui, todos os meses, 14 dias, por isso o dia da ovulação pode variar.

  • A fase folicular (pré-ovulatória) é quando o útero se prepara para receber o óvulo que está se desenvolvendo nos ovários, duas glândulas do sistema reprodutor feminino que produzem hormônios e armazenam os ovócitos (fase inicial dos óvulos).

Essa é a primeira das fases e começa logo no primeiro dia de sangramento. Dura cerca de 15 dias, até imediatamente antes da rápida elevação da concentração do hormônio luteinizante (LH), que tem como resultado a ovulação.

Esse período é quando a mulher se sente mais disposta por conta do aumento dos níveis de estrogênio. Dica: aproveite a energia para focar nos exercícios físicos!

  • Na ovulação, um dos ovários libera o óvulo pronto para ser coletado pela trompa, em que será ou não fertilizado. Isso geralmente acontece entre o 13º e o 15º dia antes da menstruação.

Aqui, nessa fase, há aumento da lubrificação vaginal. E é nesse período que as chances de engravidar são maiores.

Quando o óvulo liberado não é fecundado por um espermatozoide, ocorre a fase pós-ovulatória, que é quando esse óvulo morre após cerca de 12 horas de vida útil. Aí acontece a menstruação para limpar o útero, enquanto um novo ovócito é preparado, e todo o ciclo se repete.

Continua após a publicidade
  • Última etapa do ciclo, a fase lútea tem início após a ovulação e dura 14 dias, terminando exatamente antes do período menstrual. É nela que o óvulo é preparado para a fecundação.

 

  • Quando a fase lútea acaba, acontece a descamação das camadas do endométrio – a menstruação. O período pode ser marcado por alguns sintomas: dores de cabeça, cansaço, cólicas e inchaço. E sabe por que isso acontece? O corpo da mulher fica com níveis baixos de estrogênio, além de liberar prostaglandinas, que são responsáveis por dor e cólicas.
Bruno Meira/Abril Branded Content

    Depois de entender cada etapa, saiba que há diversas formas de termos ciclos menstruais mais saudáveis e tranquilos, com menos (ou nenhuma!) cólica, TPM e outros desconfortos. Confira algumas dicas.

    – Faça exercícios físicos durante o ciclo menstrual

    A prática regular de atividade física libera endorfina, conhecida como o “hormônio do bem-estar”. Ela ajuda a reduzir a ansiedade, alivia a dor e melhora a disposição e o sistema imunológico. Exercícios físicos também beneficiam a circulação sanguínea, o que ajuda a passar pelo período com menos cólicas.

    – Alimente-se bem

    Parece uma dica óbvia, mas não. Manter uma alimentação balanceada é fundamental para produzir hormônios saudáveis e, por consequência, ovular de forma saudável.

    – O calor pode ser um aliado!

    O calor pode ajudar – e muito! – a diminuir as cólicas. A bolsa de água quente é uma ótima aliada e traz bons resultados no alívio da dor. Esquentar os pés e tomar bebidas quentes, como chás, também melhor a sensação de bem-estar.

    – Invista na saúde íntima

    O fluxo menstrual ainda proporciona condições favoráveis para a reprodução de alguns micro-organismos que podem alterar o equilíbrio da região íntima, portanto o cuidado com a higiene deve ser prioridade – ajuda a manter a flora vaginal em equilíbrio, sem complicações (lenços umedecidos, sabonete íntimo e a escolha correta de absorventes podem ajudar a preservar as defesas naturais da região).

    Cada mulher possui um padrão menstrual diferente, que inclui variação de intervalo entre um sangramento e outro, intensidade e duração do fluxo. Apesar disso, é importante realizar a troca do absorvente a cada seis horas mesmo se não houver fluxo forte, porque a vagina precisa “respirar”, ok? 

    Vale sempre lembrar a importância de prestar atenção no próprio corpo, entender todos os sinais e, se você notar qualquer coisa diferente no seu ciclo menstrual, consultar um ginecologista para verificar se está tudo certo!

    Continua após a publicidade
    Publicidade