Caso Isa Penna: Conselho avalia assédio sofrido por deputada em Assembleia

A deputada Isa Penna teve a lateral dos seios apalpados pelo deputado Fernando Cury durante Sessão Plenária; saiba mais sobre o episódio

Por Isabella Otto 18 dez 2020, 09h21
colecao capricho sestini mochila bolsas
CAPRICHO/Sestini/Reprodução

Na noite da última quinta-feira, 17, o Conselho de Ética da legenda Cidadania, da qual o deputado Fernando Cury faz parte, informou estar analisando a denúncia de assédio contra o político registrada pela deputada Isa Penna, do PSOL. O caso aconteceu na última quarta-feira, 16, em meio à votação do orçamento do Estado na ALESP, durante a 65ª Sessão Plenária Extraordinária da casa.

Caso Isa Penna: Conselho avalia assédio sofrido por deputada em Assembleia
Momento em que Cury apalpa a lateral dos seios de Penna; um “abraço”, segundo ele ALESP/Reprodução

“O Deputado Cury, no entanto, ignora o gesto e se posiciona atrás de mim e apalpa meus seios, no que é imediatamente repelido por mim! E assim ocorre o assédio… Sou conhecida por atuar em prol do combate à violência contra as mulheres e afirmo que a violência política de gênero que sofri publicamente na ALESP, infelizmente, não é um caso excepcional“, escreveu a deputada nas redes sociais.

Com relação ao ato, flagrado em vídeo, o Cidadania diz que “exige as devidas explicações do parlamentar e encaminha o caso ao nosso Conselho de Ética, para que ouvido o representado, sejam tomadas providências cabíveis e efetivas”. O partido ainda reforça que não tolera qualquer forma de assédio e atuará fortemente para que medidas definitivas sejam adotadas. “Temos uma história de luta em defesa dos direitos da mulher que nenhuma pessoa pode macular”, foi dito em comunicado oficial assinado pelos presidentes da legenda, Arnaldo Jardim e Roberto Freire.

  •  

    O deputado denunciado diz estar triste e constrangido com todo o episódio, e que “gostaria de frisar que não houve, de forma alguma, tentativa de assédio, de importunação sexual ou qualquer coisa”. Ele ainda completa dizendo que jamais faria isso na frente de 100 deputados. Aqui, temos um equívoco, afinal ele não deveria nunca fazer isso em local algum, na frente de uma pessoa que seja ou entre quatro paredes, contra qualquer mulher sem o consentimento da mesma.

    O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo também está avaliando o caso.

    Continua após a publicidade
    Publicidade