Carreira: Yndiara Asp conta como transformou o skate em profissão

Yndiara Asp, de 23 anos, é uma das principais atletas do skate feminino brasileiro e deve representar Brasil nas próximas Olimpíadas

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 6 fev 2021, 09h56 - Publicado em 6 fev 2021, 10h01

Nas próximas Olímpiadas, o skate estará como um das novas modalidades a estrear nos jogos. Segundo levantamento do Datafolha realizado pela Confederação Brasileira de Skate (CBSk), entre 2009 e 2015 houve um aumento de mulheres no esporte e o número cresceu em 9%, totalizando 1,6 milhões de skatistas. Entre elas está Yndiara Asp, de 23 anos, que pratica o skate park e é uma das prováveis atletas que representará o skate nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Yndiara conta na série, Until 18 — O momento da decisão, que começou a andar aos 7 anos, quando ganhou um skate do pai. Mas foi aos 15 anos, em uma pista de Florianópolis, cidade em que mora, que aprendeu a dropar – movimento de iniciar a descida da rampa.  Três meses depois Yndiara já estava competindo e ganhando.

 

A skatista começou a ir em campeonatos em Florianópolis, depois pelo Brasil e, em 2016 viajou para a Suécia para disputar a final do Vans Park Series, ficando em 6º lugar no ranking mundial! Em seguida, foi para a Califórnia, onde gravou um programa de skate para  um canal de esportes. Quando eu comecei andar de skate meu sonho era ir pra Califórnia. A gente fez acontecer”, conta.

Na mesma epóca, a jovem passou no curso de educação física em um universidade federal, o que foi motivo de orgulho para a família. Mas, apesar de estar feliz, a skatista conta que percebeu que precisava ter mais tempo para treinar. Com a correria da faculdade, a atleta tinha apenas uma hora e meia antes das aulas para se dedicar  ao skate.

Continua após a publicidade

Eu estava dividida, estava em bom momento mas precisava de mais tempo para andar de skate”, explica.  Então, percebeu que precisava fazer uma escolha difícil: continuar com o curso e seguir uma rotina mais tradicional ou aproveitar as oportunidades e se dedicar totalmente ao esporte. “E aí decidi me jogar de cabeça e trancar o curso”, conta a jovem que, em 2018 – um ano após tomar a decisão, virou profissional!  Para as garotas que estão passando por esse momento de dúvidas sobre o futuro, Yndiara aconselha: “siga sempre o seu coração”.

Em relação a possibilidade de participar da estréia do skate nos Jogos Olimpícos, a skatista diz que está muito animada. “Graças ao skate eu posso ter a chance de estar lá”, diz a jovem que está disputando uma vaga para Tóquio. “Estou numa rotina bem legal agora, dias super produtiva, com treino de skate da seleção todo dia e treino físico”, explica.

Sobre o cenário do skate feminino no Brasil, Yndiara comemora que a presença das mulheres nas pistas está aumentando. “Isso está sendo até visível, cada vez mais meninas estão começando a andar de skate, cada vez mais estão indo nas pistas e competindo, isso está crescendo muito e é bonito de ver“, conclui.

Continua após a publicidade

Publicidade