O mundo vai ou não acabar neste fim de semana, segundo o calendário maia?

Teoria da conspiração diz que tudo termina no próximo domingo, dia 21. Alívio ou ameaça? Verdade ou mentira?

Por Isabella Otto - Atualizado em 19 jun 2020, 12h31 - Publicado em 19 jun 2020, 12h30
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

Em meio a tanto caos, principalmente no Brasil, o fim do mundo parece ser uma esperança, não mais uma ameaça rs. E uma notícia de que ele aconteceria nos próximos dias viralizou nas redes sociais! Mas será que essa teoria da conspiração tem mesmo fundamento?

Calendário maia lapidado em pedra Blend Images - PBNJ Productions/Getty Images

Tudo começou com algumas postagens publicadas por um tal cientista chamado Paolo Tagaloguin, que foram inclusive utilizadas em uma matéria do conceituado The Sun, que já foi apagada. Paolo garantiu que, de acordo com uma leitura alternativa do calendário maia, o dia 21 de dezembro de 2012, que marcaria o fim do mundo, cairia no dia 21 de junho de 2020, ou seja, no próximo domingo.

Paolo explicou que a teoria se baseia na contagem de dias perdidos na transição do calendário juliano para o gregoriano: 11 dias por ano durante 268 anos. O resultado, dividido por 365, daria 8. Logo, o fim do mundo, marcado para 2012, aconteceria somente em 2020, por causa desse cálculo. A questão é que, para alívio ou desespero das nações (risos nervosos), ele está errado.

O próprio Paolo Tagaloguin já voltou atrás, depois de ser desmentido pela NASA, que garantiu que não há fundamentos científicos que sustentem essa teoria. Até porque, quando rolou a transição do calendário juliano para o gregoriano, realmente 11 dias foram subtraídos, mas em apenas uma ocasião, não durante todos os 268 anos.

Continua após a publicidade

 

Outro ponto a ser levantado é que, quando foi estipulado que 21 de dezembro de 2012 marcaria o fim do mundo, o calendário em uso já era o gregoriano, desvalidando também a contagem dos 11 dias que remete ao juliano. Sem contar que os Maias usavam uma unidade de tempo diferente da nossa, tornando-se assim impossível saber se o calendário deles realmente previa um fim do mundo por agora.

O calendário gregoriano é o mais usado no mundo e foi criado em 1582, na Europa, pelo Papa Gregório XIII. O calendário juliano foi criado por Júlio César no ano 46 a.C., e o calendário maia nasceu por volta do século VI a.C. e foi criado pela civilização maia da Mesomérica pré-colombiana.

GIPHY/Reprodução

É pandemia de coronavírus, é crise política, é disputa entre potências nucleares, é tensão entre Coreia do Sul e do Norte, é gente defendendo ideologias e regimes políticos baseados na supremacia racial, na violência e na tortura, é “namastrete” rolando na internet, é vespa assassina… Olha, o fim do mundo, por mais aterrorizante que essa ideia seja, nunca foi um sopro tão grande de esperança:

Continua após a publicidade

Publicidade