Jovem é expulsa da sala por causa de menstruação e morre por suicídio

Garota foi ridicularizada por uma professora na frente dos colegas de classe e chamada de suja

Por Isabella Otto - Atualizado em 3 out 2019, 15h14 - Publicado em 17 set 2019, 15h00

A jovem Jackline Chepngeno, de 14 anos, foi expulsa da sala de aula por uma professora por causa da menstruação. Ela não percebeu a chegada da menarca e acabou sujando um pouco a carteira. As informações são do jornal The Daily Nation.

Sandra Lazzarini/EyeEm/Getty Images

Toda a situação vexatória à qual a aluna foi exposta aconteceu na última sexta-feira, 13, em uma escola na cidade de Kabiangek, no Quênia. Beatrice Koech, mãe da adolescente, disse que a menina não esperava ficar menstruada e que, por isso, não tinha um absorvente na mochila. O sangue vazou e ela foi chamada de suja pela professora antes de ser convidada a se retirar da sala.

Na sequência, bem possivelmente por vergonha, a garota morreu por suicídio. A notícia chegou aos estudantes, que se uniram para protestar contra a escola. Muitos foram suspensos pelo ato.

Vale ressaltar que a África é um dos locais em que a pobreza menstrual mais faz vítimas. Em 2017, foi aprovada uma lei que exige que as escolas disponibilizem absorventes gratuitamente para as alunas, mas nada ainda aconteceu.

Continua após a publicidade

No Twitter, Esther Passaris, que faz parte da Assembleia Nacional do Quênia, postou a imagem de uma reunião que aconteceu para discutir o caso: “Juntamente com outras deputadas, sitiamos o Ministério da Educação em protesto pela menina de 14 anos que se suicidou após uma professora ridicularizá-la publicamente“, escreveu.

Publicidade