Quais são suas três maiores qualidades?

Por Da Redação Atualizado em 17 ago 2016, 12h10 - Publicado em 18 dez 2015, 16h44

Todo dia recebo um monte de emails de meninas profundamente insatisfeitas com o seu corpo.

São emails como este:

“Tenho 13 anos, 1,69 m, 50 kg. Eu odeio meu corpo, eu me acho MUITO magra, não tenho peito, não tenho bunda, minhas coxas são um pouco finas e minhas canelas são muito finas. Coloco quatro calças por baixo do jeans e uso enchimento no sutiã. Quando vou dormir na casa de uma amiga, fico morrendo de vergonha de trocar de roupa na frente dela. Sei que eu tenho que ser quem eu sou de verdade e me amar assim. Mas eu sinto que ainda não estou preparada para enfrentar os comentários maldosos.”

Ou este:

Continua após a publicidade

“Não me sinto bem com o meu  corpo. Sou baixa, tenho 1,52 m com 14 anos e sofro por isso. As pessoas vivem falando que eu não vou crescer mais, que eu sou uma anã… Além do mais, tenho muito seio e, como sou baixa, fica estranho. Não tenho muito quadril, meu ombro é largo, meus pés são muito pequenos (TODOS falam disso). Também tenho muitos cravos no rosto e meu cabelo não é liso (TODAS as minhas melhores amigas tem o cabelo liso e maravilhoso).  Estou cansada de me sentir feia e deslocada.”

Ou este:

Continua após a publicidade

“Tenho 14 anos, sou magrinha e não tenho nada de peito. Todas as meninas da minha sala têm peito e vivem me zoando por causa disso. Estou cansada de ser chamada de reta, palito, puro osso. Odeio o meu corpo. Tem gente que fica me botando medo dizendo que se eu continuar sendo magrela desse jeito ninguém vai te querer. Isso me deixa muito triste e insegura. Meu pai está querendo organizar uma festa de 15 anos, mas eu não quero porque não tenho corpo o suficiente pra ficar bonita no vestido.”

O que você diria a essas meninas se fosse sua melhor amiga?

Eu olharia bem nos olhos dela e diria o quanto ela é legal, linda, divertida.  Lembraria bons momentos que passamos juntos, de um elogio que ela recebeu de um menino, de um vestido que cai bem melhor nela que em mim. Diria pra ela não ligar para a opinião de pessoas maldosas, que só a criticam por saber que ela se chateia, chora, abaixa a cabeça. Diria que a melhor lição para essas pessoas é a indiferença – por que você se importa com gente tão desimportante? E mais: enumeraria todos os defeitos que elas possam ter. Afinal, perna final, muito peito ou baixa estatura não é exclusividade sua, certo?

Sempre penso a mesma coisa: por que a gente é mais cruel com a gente mesmo do que com a nossa melhor amiga? Se a gente conseguisse se ver com um pouco mais de carinho, será que não conseguiria romper esse ciclo de baixo autoestima?

Minha proposta: cada vez que que você se sentir mal e triste, tente enumerar suas qualidades em vez de seus defeitos.

– Eu tenho a cintura fina, pele boa e sou bem-humorada.

Agora, vocês: quais são as suas três maiores qualidades? 

Continua após a publicidade
Publicidade