Influencer diz usar desodorante pra negros porque tem “problema de cecê”

Fala preconceituosa da jovem causou repercussão na internet

Por Da Redação Atualizado em 22 jan 2021, 18h45 - Publicado em 22 jan 2021, 14h39

A influenciadora Isadora Faria, da cidade de Tubarão, em Santa Catarina, causou polêmica ao dizer em seu Instagram que “tem problemas de cecê” [cheiro ruim do suor] e, por isso, costuma usar desodorante para a pele negra, implicando com sua fala que pessoas negras possuem mais tendência à transpiração com mau cheiro.

“Quem me segue há mais tempo sabe que eu tenho um sério problema com ‘cecê’, por isso eu tenho que passar desodorante bom. Inclusive, às vezes eu compro de pele morena a negra, porque o negócio aqui é punk”, falou Isadora.

Muitos influenciadores negros questionaram a fala racista da jovem e o fato dela reforçar o preconceito de que pessoas negras possuem “um cheiro mais forte” do que pessoas brancas. Leila Pereira foi uma das pessoas que se posicionou sobre o ocorrido. “Chega a me faltar palavras que, neste ano, neste século, vindo de pessoas com tanto poder aquisitivo, a gente ainda escute barbaridades como essa”, começou a catarinense. “Queria saber baseado em que estudo a pele negra fede mais?“, disse.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

A post shared by 1992 | Sagitariana | SC (@leila.pereirads)

“Não dá mais para ficarmos quietos em situações de racismo, de preconceito e de desrespeito, especialmente de pessoas que têm o poder de influenciar positivamente e estão aí propagando [coisas ruins]É decepcionante, frustrante e inaceitável que a gente sempre seja lembrado de uma forma negativa, que a gente sempre seja atrelado a algo ruim. Quando é para falar de algo bom, ninguém lembra da negra ou do negro. Isso cansa”, finalizou.

Por qual motivo o cheiro de suor ainda é tão atribuído à população negra de forma tão peculiar?“, questionou a página @africanizeoficial, que continuou: “Quantas vezes já ouvimos de maneira pejorativa alguém dizendo que pretos têm um ‘cheiro forte’, que o suor é específico, muito particular, trazendo até uma repulsa. E aí, popularmente, o termo acabou sendo atribuído ao significado ‘Cheiro de Crioulo’ ou ‘Caatinga de Crioula’. Sempre fomos orientados a se preocupar com o cheiro para não ser alvo de piadas pejorativas.”

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

A post shared by AFRICANIZE ✊🏿 (@africanizeoficial)

A dermatologista Katleen da Cruz Conceição falou sobre a polêmica em seu perfil e explicou porque a ideia de que os negros possuem um odor mais forte é falsa e trata-se de um preconceito que já fez muitas pessoas pretas sofrerem. “As glândulas apócrinas são glândulas sudoríparas que se concentram em determinadas zonas do corpo, como virilhas, peito, região perineal e sacrococcígea e também nas axilas, que é o lugar onde se apresenta maior concentração delas. As glândulas apócrinas são maiores e em número maior na pele negra, além de produzirem maior quantidade de secreção. Isso não explica a diferença no odor, pois este depende da colonização bacteriana e independe da cor“, escreveu.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

A post shared by Dra Katleen da Cruz Conceição (@katleendermato)

Ou seja, o que causa o mau cheiro no suor não é a quantidade de transpiração de uma pessoa, mas, sim, as bactérias presentes na pele que, em contato com o suor, desencadeiam um processo metabólico que pode gerar um odor ruim.

Depois da repercussão negativa de sua declaração, Isadora voltou ao seu perfil para se desculpar. “Antes de falar qualquer coisa, eu quero pedir perdão, que é mais do que desculpas, pra todas as pessoas que se sentiram ofendidas com aquilo que eu falei. Eu não sou essa pessoa racista, eu amo os negros, eu amo todas as pessoas e trato as pessoas com igualdade. Quem me conhece sabe, quem me segue e me conhece pessoalmente sabe da minha conduta, do meu caráter, das minhas crenças e eu jamais falaria qualquer coisa de maneira racista ou para ofender qualquer que seja a pessoa”, disse.

É muito importante se informar e não espalhar ideias falsas e que reforçam preconceitos que machucam outras pessoas!

Continua após a publicidade
Publicidade