Como saber qual é o meu tipo de pele? Estas dicas te ajudam a identificar!

Oleosa, mista, normal ou seca? Entenda as principais características de cada uma

Por Sofia Duarte Atualizado em 12 jul 2022, 14h49 - Publicado em 12 jul 2022, 14h45

Seu rosto costuma apresentar poros dilatados e oleosidade em excesso? Ou ainda sente a região das bochechas mais secas? Essas são características importantes de se observar na hora de entender qual é o seu tipo de pele. Para te ajudar a fazer essa identificação, a CAPRICHO conversou com as dermatologistas Ana Coutinho e Claudia Sandri. Vem conferir!

Os tipos de pele e as características de cada um

Pele normal

É balanceada, sem excesso de oleosidade e nem muito seca. Possui textura aveludada, uma vez que produz gordura de forma equilibrada, e costuma ter poros pequenos e pouco visíveis.

Pele seca

É caracterizada pela dificuldade de reter água na quantidade necessária, devido à produção reduzida de lipídios. Isso faz com que a pele não consiga reter umidade e construir um escudo protetor contra influências externas. Costuma ser mais áspera e apresentar menos brilho e mais propensa à descamação e vermelhidão. Pode variar entre seca, muito seca e extremamente seca e ser causada por fatores genéticos, hormonais e ambientais, como o tempo frio e seco ou excesso de sol e vento.

Pele oleosa

Sua principal característica é o excesso de produção de sebo. Tem poros dilatados mais aparentes e suscetíveis ao surgimento de cravos, espinhas e manchas.

Pele mista

É o tipo de pele mais comum e combina aspectos opostos. A oleosidade e os poros dilatados aparecem na “zona T”, formada por testa, nariz e queixo, onde podem aparecer cravos e espinhas. Já na região das bochechas e as extremidades podem ter aparência normal ou seca.

Shay Mitchell fazendo skincare
Shay Mitchell fazendo skincare Reprodução/Reprodução

Como descobrir o meu tipo de pele?

A Dra. Ana Coutinho explica que, para entender o seu tipo de pele, precisa-se levar em consideração o nível de hidratação, brilho, grau e distribuição facial da oleosidade, presença de poros dilatados e de acne. Quando as características são bem evidentes, fica mais fácil de identificar e enquadrar sua pele nas categorias anteriores, mas nada substitui uma visita ao seu dermatologista para ter 100% de certeza e receber recomendações adequadas de skincare.

Continua após a publicidade

Na consulta, o especialista vai fazer uma anamnese, ou seja, uma entrevista com o paciente, perguntando a respeito de seus hábitos de higiene e produtos utilizados no dia a dia, tudo a fim de identificar não apenas o tipo de pele, como também os problemas associados a ela. Em seguida, é feito um exame visual com o auxílio de uma lupa para analisar a uniformidade da pele, os poros, descamações e vermelhidões. Ah, e a análise deve considerar o corpo também, porque, muitas vezes, o tipo de pele do rosto e do corpo são diferentes, viu? “É importante que o paciente não vá para a consulta de maquiagem e, de preferência, nenhum tipo de cosmético para não alterar o exame físico”, recomenda a Dra. Claudia Sandri.

É possível ter mais de um tipo de pele?

Sim! A pele mista, como já mencionamos, é um exemplo dessa condição. Além disso, também pode rolar uma mudança do tipo de pele de forma provocada. “Geralmente acontece quando existe uma mudança na rotina de skincare ou uma agressão ambiental, como excesso de frio, fotoexposição exagerada, aumento ou redução da umidade e da temperatura”, conta a Dra. Ana Coutinho. “O que é muito comum é a mudança da pele, por exemplo, próxima à área de implantação de cabelos por uso de produtos de cuidados do couro cabeludo de forma inadequada, como óleos de tratamento e máscaras capilares”, completa.

Outro fenômeno é a mudança de pele de oleosa para seca com o passar dos anos. “Isso pode ser causado pelo próprio envelhecimento da pele e por algumas doenças como hipotireoidismo e pela menopausa”, aponta a Dra. Claudia. “É muito comum a pele do rosto ser oleosa ou mista e a pele do corpo ser seca. Geralmente, isso acontece por fatores externos, como excesso de banhos e falta de hidratação. E também, devido a fatores ambientais, nossa pele pode ficar ressecada por um tempo e depois voltar à sua condição normal.”

Kylie Jenner fazendo skincare
Kylie Jenner fazendo skincare Gif/Reprodução

E a pele sensível?

Segundo a Dra. Ana Coutinho, a pele sensível não é considerada um tipo de pele, mas um estado momentâneo ou crônico da pele que tem diversas causas. “Pode vir da predisposição genética, como, por exemplo, a dermatite atópica, até exposições continuadas ambientais, passando por situações extremas, por produtos tópicos, medicamentos que aumentam a vulnerabilidade da pele, pois comprometem a barreira cutânea que protege e mantém a saúde da pele.”

Ela ainda afirma que a pele sensível se caracteriza por apresentar sintomas específicos como formigamento, tensionamento, coceira ou sensação de queimação. Inclusive, qualquer tipo de pele, seja seca, oleosa ou mista, pode ficar sensível.

Agora que você já tem as informações principais para descobrir o seu tipo de pele, bora agendar uma visita no dermatologista para aprofundar o assunto e adaptar a sua rotina de skincare de acordo com as suas necessidades? 😉

Quem deu as informações: Dra. Ana Coutinho, diretora médica do Grupo Pierre Fabre; Dra. Claudia Sandri, dermatologista

Continua após a publicidade

Publicidade