Única mãe na Seleção Brasileira, Tamires já desistiu do futebol três vezes

Jogadora da Seleção Brasileira bateu um papo com a CAPRICHO sobre sua trajetória no futebol feminino e o futuro do esporte.

Por Amanda Oliveira - 19 jul 2019, 11h00

O futebol feminino é repleto de grandes histórias de força e superação. Na Seleção Brasileira, não é diferente. Você sabia, por exemplo, que uma jogadora brasileira que tem presença confirmada em Copas do Mundo e Olimpíadas já chegou a desistir do futebol mais de uma vez? É ela, também, a única atleta da equipe que é mãe. Estamos falando da Tamires Dias, que conversou com a CAPRICHO durante sua participação na final do torneio RedBull Neymar Jr’s Five, que rolou nos dias 13 e 14, na Praia Grande, litoral de São Paulo.

Tamires é a única jogadora da Seleção Brasileira que é mãe. Daniela Porcelli/Getty Images

Tamires Cássia Dias de Britto tem 31 anos e é titular na lateral esquerda da Seleção Brasileira. Mas o que nem todo mundo sabe é que ela também é mãe do Bernardo, de 10 anos. A gravidez da atleta foi uma surpresa e fez Tamires largar o futebol pela primeira vez. “No total, foram 3 anos e meio sem jogar futebol. Um ano pela gestação, outro ano por questões particulares porque eu achava que era importante estar perto do meu filho depois que ele nascesse e a outra parada foi por opção própria porque eu queria estar perto da família”, conta à CH. Apesar das pausas na carreira, a atleta não se arrepende de ter desistido e acredita que voltou no momento certo.

Atualmente, ela consegue conciliar a carreira de jogadora de futebol com o trabalho de ser mãe, contando com a ajuda dos familiares e do marido. Mas, principalmente quando está com a Seleção Brasileira, ainda tem a questão da distância e da saudade que sempre aperta.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

É Dia Mundial do Rock e é dia de futebol feminino também, bb! Todo dia é dia. A @mandsoliv está cobrindo um torneio na Praia Grande, em São Paulo, e teve a honra de entrevistar a craque @tata_dias10, que atuou como lateral na Copa do Mundo Feminina. A jogadora falou sobre o desempenho do Brasil no mundial e o futuro do esporte pós-Copa. Em breve, no nosso site. Agora corre pros Stories que tem mais! 🤙🏽⚽️♀️ #CHnaCopa #futebolfeminino

A post shared by CAPRICHO (@capricho) on

Depois de passar algum tempo atuando em um clube da Dinamarca, Tamires decidiu retornar ao Brasil para jogar no Corinthians. Segundo ela, além de ser uma oportunidade de ficar mais próxima da família, a decisão de voltar ao país também foi porque ela pretendia fortalecer o futebol brasileiro. “Pesou a questão da oportunidade que o Brasil está dando para o crescimento do futebol feminino, então eu queria fazer parte de tudo isso também“, diz. Ela também garantiu que parte da decisão foi ver como o Campeonato Brasileiro Feminino está se tornando uma forte competição – que tem transmissão em rede aberta, pela Band.

Continua após a publicidade

Tamires também comentou que o desempenho do Brasil na Copa do Mundo foi satisfatório, mas admite que a Seleção Brasileira tinha potencial e elenco para ir mais longe na competição. “A gente fez uma primeira fase muito boa e acabamos caindo nas oitavas de final contra as anfitriãs. Jogamos um jogo muito equilibrado contra elas, um jogo que a gente podia sair vencedoras, então eu saio com aquela tristeza de ter sido eliminada sabendo que o Brasil poderia ter ido mais longe, mas saio de cabeça erguida sabendo que toda a Seleção deu o seu melhor e que a modalidade saiu fortalecida com essa visibilidade“, opina.

Quanto ao futuro do futebol feminino pós-Copa, a lateral prefere se manter otimista. “Deixamos um legado sabendo que a gente tem muito mais para dar e sabendo que se as pessoas continuarem transmitindo e investindo no futebol feminino, a gente tem muito mais aí para as gerações futuras conquistarem“, diz. Tamires, inclusive, revela que se um dia parar de jogar, pretende trabalhar com as categorias de base feminina. “Hoje a gente tem que ter uma categoria de base forte, a gente está vendo algumas peneiras hoje, mas ainda é muito pouco para o tamanho do nosso país. Acho que tem muito talento espalhado pelo Brasil”, a jogadora finaliza.

Que exemplo de força e inspiração! <3

Publicidade