Rapaz mata namorada e depois posta fotos do corpo da vítima na internet

O americano de 21 anos postou nas redes sociais imagens do corpo da namorada ensanguentado e com a garganta cortada. "Sorry, fuckers", escreveu

Por Isabella Otto - Atualizado em 17 jul 2019, 17h33 - Publicado em 17 jul 2019, 10h30

Na última segunda-feira, 15, a polícia americana relatou a morte da influenciadora Bianca Devins, de 17 anos. O crime aconteceu em Utica, estado de Nova York, nos Estados Unidos. Ao que tudo indica, ele foi cometido por Brandon Andrew Clark, namorado da jovem, de 21 anos. O caso está sendo investigado pelas autoridades locais.

Bianca em foto postada no Instagram. Arquivo Pessoal/Instagram

O casal teria ido, na noite anterior ao assassinato, ou seja, no último sábado, 13, a um show da cantora canadense Nicole Dollanganger. Testemunhas que estavam com o casal no evento disseram que eles fumaram maconha após o concerto. Horas antes do crime, Bianca teria mandado uma mensagem para uma amiga dizendo que o namorado estava “muito bravo”.

Brandon, após cometer o assassinato, postou imagens da vítima no Instagram. Elas mostravam o corpo da jovem de 17 anos todo ensanguentado, no carro do rapaz. Uma imagem, inclusive, mostrava Bianca com o pescoço cortado. Elas logo saíram do ar. O americano também publicou a seguinte frase: “sorry, fuckers, you’re gonna have to find someone else to orbit” (“desculpe, fil$os d@ p#t@, vocês terão que encontrar outro alguém para ‘orbitar'”). “Orbiting” é uma expressão em inglês que significa espreitar, stalkear a rede social de uma garota com o intuito de fazer sexo com ela.

“Nós estamos chocados e profundamente tristes com essa situação terrível. Nós estamos trabalhando firme para providenciar qualquer assistência legal que pudermos dar“, disse uma fonte que trabalha no Discord, aplicativo de mensagens utilizado por Bianca e pelo casal para se comunicar com os amigos, em entrevista à Rolling Stone.

Continua após a publicidade

Uma amiga da influenciadora a descreveu como sendo “uma pessoa doce e muito preocupada com os outros“. A fonte disse ainda que Bianca sempre tentava fazer com que as pessoas se sentissem bem e amadas.

No Instagram, a americana, que tinha acabado de se formar no ensino médio, fazia o tipo “garota Tumblr”. Ela postava montagens com elementos que romantizam a cultura da depressão, como pílulas, seringas e sentimentos tristes. Uma semana antes de ser assassinada, a adolescente postou uma foto de correntes com a legenda “sentindo-se insegura, infeliz”. Muita gente está usando isso para dizer que a jovem tem uma parcela de culpa na história, por valorizar essa cultura das “sad accounts” das redes sociais, estimulando comportamentos doentios como o que o namorado teve, como se as postagens delas funcionassem como gatilhos. Além de ser um erro, culpabilizar a vítima contribui com a cultura do estupro e com a violência contra a mulher.

Publicidade