‘Tenho medo de apresentar meu namorado para meus pais. E agora?’

Duas leitoras contam para a CARICHO como lidaram com essa situação.

Por mais que as histórias de casais sejam únicas e diferentes, alguns detalhes costumam ser comuns: você conhece a pessoa, começa a sair, rola um pedido de namoro, a relação vai se fortalecendo e, em um certo momento, surge aquela vontade (ou necessidade) de contar para os pais e apresentar o namorado oficialmente.

Se para algumas pessoas isso é supertranquilo, para outras não é nem um pouco. Tudo depende de uma série de fatores, principalmente de como seus pais encaram o assunto e do quão tímida você é. Não existe uma fórmula infalível para conseguir tomar coragem e contar, mas conversamos com duas leitoras que passaram por situações muito diferentes e podem te ajudar nessa!

1. “Minha mãe surtou!”
A Karen Chang, de 19 anos, começou a namorar há pouco mais de um ano com o Gustavo Xavier, de 18. Só que por 4 meses, ela manteve o relacionamento escondido porque tinha medo da mãe. “Ela sempre achou que namorar era para depois, quando eu já trabalhasse. Ela tem um pensamento oriental bem fechado”, conta. O pai dela, por outro lado, era bem tranquilo com isso.

apresentar-1

Até que o fim do ano foi se aproximando e o namorado a convidou para passar o réveillon com a família dele na praia, em Ubatuba. Com isso, ela sentiu que não dava mais para esconder. Primeiro, resolveu contar para o pai: “Ele falou que ia me ajudar a contar para minha mãe”. Como a viagem seria no dia 26 de dezembro, que não estava longe, os dois chamaram ela na véspera de Natal e soltaram a “bomba”. “Ela surtou! Começou a gritar, falou que eu ia ser enganada e que não teria mais futuro”, Karen lembra. A família, que estava lá para o Natal, tentou ajudar a acalmar a situação.

Mesmo assim, ela não aceitou muito bem e ficou ainda mais brava quando, no dia seguinte, o pai levou a Karen para encontrar o namorado para eles viajarem. “Ele conheceu o Gustavo, o irmão e a mãe dele, e aí ficou mais seguro para me deixar ir”, explica. Até hoje as coisas ainda são meio complicadas. O pai gosta do namorado dele, a mãe já o conheceu quando foi até a casa dele atrás da filha, mas ainda não toca muito no assunto do namoro.

dad-cool

Por mais difícil que pareça, no entanto, a Karen reconhece que foi bom ser contado. “Eu acho importante, mesmo que não aceitem. Quando eu não contava, tinha que fazer tudo escondido e isso era péssimo. Fora o medo dela descobrir”, desabafa. “É bem melhor falar par aos pais, porque de repente eles gostam e aí vocês podem até frequentar a casa do outro sem problemas. Não rola namorar escondido por muito tempo, eles sempre vão descobrir ou desconfiar”, completa.

Se você se identifica com a situação, ela dá uma sugestão de como abordar o assunto. Você pode começar com “mãe/pai, precisamos conversar, mas eu quero conversar e não discutir, então espero que você respeite minhas decisões”. Ou seja, quanto mais você mostrar que está feliz com o namoro, certa da sua decisão e falar com calma, menos impactante vai ser – e aí apresentar o namorado depois tende a ser mais tranquilo, porque tanto você quanto seus pais já estarão preparados.

2. “Foi tranquilo para mim, para meus pais e para meu namorado.”
Bem diferente da situação da Karen, a Julia Araujo, de 17 anos, conseguiu se abrir numa boa sobre seu relacionamento com o Vitor Gomes, de 21. “Minha mãe sempre foi uma grande amiga, aberta sobre assuntos de relacionamento”, ela conta. O pai dela era um pouco mais fechado, mas ela sabia que ele gostaria do namorado: “Eu achava que ele iria aceitar a ideia, e não foi diferente”.

hug-mom

A Ju e o Vitor saíram por uns 2 meses até que… “O Vitor veio me pedir em namoro no dia em que estava tendo uma festa aqui em casa. Ele chegou um pouco antes para falar com meu pai“, ela lembra. Uma coisa que ajudou bastante foi a Ju já ter preparado o pai antes, contado um pouco sobre o menino que ela tinha conhecido no curto e estava saindo. “Eu não imaginava que eles fossem se dar tão bem”, comemora.

A reação dela no momento também foi boa: “Fiquei com um pouco de vergonha, sim, mas nada fora do comum”. Ela explica que os pais serem tranquilos deu uma segurança. Além disso, o fato dela achar importante a presença da família na esfera do namoro também ajudou: “Assim podemos conhecer mais com quem estamos nos envolvendo. A família é a base de tudo e acredito que possa ser a base para um relacionamento saudável”.

abracando-boy

Para a Julia, a chave para conseguir contar e apresentar o namorado para os pais é o diálogo. “Converse com eles, seja amiga deles. Não devemos ter medo, mas antes precisamos ter a certeza de que é realmente aquilo que queremos“, ela aconselha. Então se os seus pais já são mais abertos com o assunto e o problema é só a vergonha, respira fundo e vai em frente! As chances deles levarem numa boa são grandes.

Vale reforçar que essa é uma questão que varia muito de um relacionamento para o outro, de uma família para a outra. Mas como as duas mostraram, contar antes e conversar sobre o assunto já ajuda a preparar para o momento de apresentar pessoalmente. E tanto o medo quanto a vergonha fazem parte, mas é possível e até importante superá-los.

E você, já teve que apresentar um namorado para os pais? Como foi?

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s