Primeira vez X Dor: Será que perder a virgindade realmente dói?

Tiramos todas as suas dúvidas sobre aquela dorzinha que pode rolar na primeira vez.

Por Marcela Bonafé - 5 out 2019, 10h01

Antes da primeira transa, vários questionamentos invadem a cabeça da adolescente e a questão da dor é a que mais preocupa. Afinal, se você perguntar para as suas amigas ou buscar na internet, provavelmente vai ouvir que dói muuuito! De fato, pode doer mesmo, mas a dor não é a mesma para todas as meninas. E se doer, sabia que existem motivos específicos para isso acontecer? A gente te conta todos os detalhes sobre a relação primeira vez X dor.

Em primeiro lugar, é importante saber que há dois motivos pelos quais a garota pode sentir dor durante a primeira penetração:

1º. A rotura (ou ruptura) do hímen
Toda mulher tem, na entrada da vagina, uma pelinha que é chamada de hímen. A ginecologista e terapeuta sexual Mariana Maldonado explica que essa pele tem uma elasticidade, então “quando você tem uma relação sexual ou penetração com algum objeto que supere o limite dessa elasticidade, ela se rompe”. A rotura pode, então, causar desconforto e dor. A intensidade vai variar de menina para menina, já que existem diferentes tipos de hímen , uns mais fáceis e uns mais difíceis de romper.

2º. Tensão
Essa é, na verdade, a pior inimiga! “Se a menina estiver nervosa no momento, ela pode ficar contraída. E se houver penetração com o corpo assim, sem estar com a musculatura da pelves relaxada, as chances de ela sentir dor são maiores”, conta a Dra. Mariana. E, acredite, isso é muito comum.

“Foi como enfiar um cachorro quente num buraco de fechadura” Tumblr/Reprodução

Dito isso, vamos às questões mais específicas. Existem casos em que a menina está tão tranquila e entregue ao momento que não sente incômodo nenhum. “Isso da dor é um mito, inclusive um bastante machista!”, aponta a Dra. Mariana. “Muitas vezes, o homem acaba não acreditando que a mulher era realmente virgem simplesmente porque ela não sangrou, nem sentiu dor, e aí ele fica se questionando”, explica. Mas não tem nada disso: saiba que é normal e que se a primeira vez para você for supertranquila, sem dor e sem sangramento, não há nada de errado!

Em contrapartida, no entretanto, há meninas que ficam tããão tensas que acabam não conseguindo nem ter a penetração. Isso porque elas se contraem tanto que a dor na hora é realmente muito intensa. Se isso acontecer com regularidade, a ginecologista destaca que é importante procurar ajuda: “Se a garota tenta uma, duas, três vezes e sempre trava, porque simplesmente não consegue relaxar, mesmo e sentindo preparada para a relação sexual, é bom procurar um psicólogo”. Isso porque ela pode estar com alguma dúvida ou não estar se sentindo confortável com alguma questão.

Continua após a publicidade

Caso você se enquadre nessa situação, que sente tanta dor a ponto de não conseguir ter a primeira vez, é importante que marque mesmo uma consulta. O primeiro profissional a se buscar é o ginecologista. “Ele pode avaliar para ver se tem alguma coisa diferente com a anatomia da menina, se ela tem um hímen complacente, por exemplo, que é mais difícil romper”, Dra. Mariana aconselha. O médico também pode acabar identificando inflamações vaginais ou alergias que também podem deixar a menina mais sensível à dor.

Pode ser, ainda, que algum medicamento esteja influenciando nessa questão. “Determinados tipos de anticoncepcionais hormonais podem deixar a região vaginal mais sensível e isso pode provocar a dor“, exemplifica a ginecologista. Diante de todas as possibilidades, é importante passar com um médico para que ele possa, justamente, avaliar e ver se está tudo certinho com a adolescente fisicamente.

Continua após a publicidade

Caso o problema não seja físico, mas mental, o indicado é procurar um psicólogo ou um terapeuta sexual, como já alertamos por aqui. Esses profissionais vão te ajudar a perceber onde está a raiz da dor e, então, trabalhar isso. Percebe como o seu psicológico pode atrapalhar bastante e te fazer sentir uma dor mais intensa e inesperada?

Por isso mesmo é importante ficar o mais tranquila possível antes da primeira vez. As dicas da Dra. Mariana para isso são: (1) se conhecer, conhecer seu próprio corpo, se tocar e perceber como é a sensação para saber o que esperar do momento. Se você estiver informada sobre você mesma, é provável que consiga relaxar mais; (2) ter alguém ao seu lado que te deixe à vontade e segura, porque se a pessoa que você escolheu para ter a primeira transa te deixar com ainda mais medo, aí pode dar ruim mesmo!

Na verdade, não existe uma receita exata para doer menos, mas seguindo esses dois passos você, com certeza, vai se sentir melhor e mais preparada e, portanto, as chances de você ficar tensa e se contrair são menores.

Continua após a publicidade

 

+ Leia mais: Dez coisas que você precisa saber antes da primeira vez

Publicidade