O que realmente deve mudar no ‘novo’ Ensino Médio

Um resumão - daqueles que você curte e pode confiar - para te ajudar a entender o assunto de um jeito prático. Acompanhe as novidades no site CAPRICHO!

Por Isabella Otto - Atualizado em 22 set 2016, 18h37 - Publicado em 22 set 2016, 18h30

No começo da semana, foi noticiado que Michel Temer, Presidente da República, havia assinado uma Medida Provisória que, aos poucos, irá transformar o atual modelo de educação implementado no Ensino Médio, no Brasil. A mudança, que deve se tornar efetiva apenas em 2018, com turmas completas já sob o novo molde, deu o que falar. Muitos alunos curtiram esse modelo de ensino mais americanizado, em que o aluno tem liberdade (dentro do que for pré-estabelecido pela instituição) para escolher as disciplinas que deseja cursar. Outros, porém, se posicionaram contra a mudança e acreditam que ela só vai tornar a educação menos eficaz, tanto nas escolas públicas quanto nas privadas.

O que realmente pode mudar no 'novo' Ensino Médio

A principal diferença proposta pela MP é justamente a flexibilidade da grade curricular. Hoje, alunos do Ensino Médio devem cursar 13 disciplinas em três anos. Depois que a medida deixar de ser provisória, os estudantes só terão algumas disciplinas obrigatórias, como, por exemplo, matemática e língua portuguesa. Rosseli Soares da Silva, secretário de educação básica, em entrevista à Folha, nega que isso irá acontecer. Contudo, o texto assinado por Temer parece deixar claro que algumas matérias, como artes, só continuarão fixas nos ensinos Infantil e Fundamental.

Confira abaixo um breve resumo contendo as principais futuras mudanças que ocorrerão no ‘novo’ Ensino Médio brasileiro:

Continua após a publicidade

1. Somente o primeiro dos três anos serão iguais para todos os alunos, como já acontece em algumas faculdades e universidades, cujo primeiro ano é bastante genérico e os outros, mais especializados;

2. Nos dois anos restantes, o estudante poderá se aprofundar em cinco áreas específicas. Serão elas: linguagens, matemática, ciências humanas, ciências da natureza e ensino técnico;

3. Disciplinas como arte e educação física serão facultativas, ou seja, os alunos poderão escolher se irão cursar ou não (infelizmente, na prática, isso meio que já acontece, né?);

4. A carga mínima de 800 horas anuais deverá ser ampliada aos poucos para 1.400 horas anuais. Logo, os alunos terão sete horas de aula por dia (período integral);

Continua após a publicidade

5. O ensino médio poderá ser organizado em módulos. O que isso significa? Que a sua melhor amiga poderá ter um módulo diferente do seu, se ela for mais exatas e você, mais humanas;

6. O aluno receberá um certificado a cada módulo concluído;

7. Aulas de inglês passam a ser obrigatória. Antes, elas eram facultativas no currículo e muitas escolas não tinham;

Queremos saber de vocês, estudantes, o que acham da nova medida? Será que ela realmente vai entrar em vigor da forma como imaginam? Ela vai melhorar a educação no Brasil?

Publicidade