Miss Brasil 2019 defende feminismo e mulheres trans em concursos de beleza

'A miss pode e deve ser feminista', disse Júlia Horta, de 25 anos, que representa o Brasil no Miss Universo.

Por Isabella Otto - 4 abr 2019, 16h00

A mineira Júlia Horta, de 25 anos, é a Miss Brasil 2019 e foi bastante elogiada pelo público durante o concurso de beleza, que aconteceu no dia 9 de março. A jornalista deu respostas rápidas, coesas e atuais, e continua mostrando uma posicionamento forte nas redes sociais.

Reprodução/Reprodução

Recentemente, a miss disse que é feminista e ainda incentivou a sororidade ao pedir o apoio das mulheres, inclusive daquelas que são contra competições do tipo, que, segundo elas, estimulam uma espécie de batalha feminina. “A miss pode e deve ser feminista(…) Como uma representante da beleza e do empoderamento, a miss entra para apoiar essas causas“, declarou.

Quando questionada sobre o movimento, Júlia falou que ainda hoje muita gente não sabe o que o feminismo realmente significa. “As pessoas confundem feminismo com femismo. O feminismo busca justamente essa igualdade que ainda não existe. A maioria das mulheres ganha menos que os homens. Sofremos assédio todos os dias nas ruas e o feminicídio é uma das maiores mortes do nosso país“, explicou.

A jovem de 25 anos citou Michelle Obama quando questionada sobre mulheres que a inspiram e se posicionou a favor das mulheres transexuais em concursos de beleza. “Mulher trans é mulher, então tem que estar em concurso para mulheres. Se eu perdesse para uma trans, não teria problema, pois teria sido merecido”.

Continua após a publicidade

Lembrando que a data oficial do Miss Universo 2019 ainda não foi revelada mas o evento acontecerá na Coreia do Sul. Boa sorte, Julia! 

Publicidade