Leitoras comprovam: namorar alguém que conheceu pela internet pode dar muito certo!

Tão lindo quando a pessoa sai do outro lado da tela e entra na sua vida!

Parece que conhecer alguém pela internet gera uma certa desconfiança. Afinal, nas redes sociais e aplicativos de paquera, cada um pode ser o que quiser (e muitas vezes isso engana). Mas uma coisa é fato: no ambiente virtual você tem a oportunidade de conhecer pessoas superlegais. Além disso, é um lugar perfeito para investidas sutis, como curtir e seguir de volta, e também mais diretas, como chamar logo no chat.
 
Desenvolver uma paixonite online é bem comum. E o mais legal é quando ela vai para frente! Conversamos com leitoras que começaram um relacionamento com alguém que conheceram na internet – pelo Tinder, Facebook e Instagram. Vem conhecer a história delas: 

 
Muita gente não leva o Tinder muito a sério , mas foi por lá que o match da Isabela Padula (20) com o Diego aconteceu. Pelo aplicativo, ele mandou um despretencioso “aqui tá dizendo que a gente combina” para ela. A Isa, na hora, pensou “coitado, fala isso para todas”, mas resolveu dar uma chance. Conversaram bastante até que resolveram se encontrar em um bar perto da faculdade dela. “Ele levou os amigos dele e eu levei minhas amigas, afinal, no primeiro encontro, qualquer ajuda é bem-vinda”, conta. Conversaram e conversaram, mas nada de beijo. Até que ela resolveu ir ao banheiro e ele disse que também precisava. 
 
Eles resolveram ir pelas escadas e foi aí que a cena fofa aconteceu: “Ele desceu um lance de escada e falou ‘pula que eu te pego aqui embaixo’. Na hora que pulei, ele me pegou e me beijou“. Hmmm… talvez não TÃO fofa assim, como lembra a Isa: “O beijo foi horrível, mas estamos juntos até hoje”. Depois desse primeiro encontro, eles saíram mais vezes. Com o tempo, sentiram que as coisas estavam mais sérias, mas ainda não era namoro – apesar das indiretas dela (quem nunca, né?!).
 
Só que um dia um menino postou uma foto da Isa na página Te Vi no Ônibus, o que deixou o Diego muuuito bravo (ciúmes, gente!). Ele chamou ela para conversar e disse que aquela situação tinha feito ele perceber que gostava muito mais dela do que imaginava. “Ai na hora ele me pediu em namoro”, ela lembra. Viu só?! Pode ser que você encontre, sim, o amor da sua vida no Tinder! A Isa e o Diego são a prova disso e estão juntos há 1 ano e 6 meses.
 
A Ianá Batoni (19) teve uma história que começou meio enrolada, mas o destino se encarregou de consertar! Ela estava em um intercâmbio na Austrália quando o Daniel, aqui do Brasil, viu o perfil dela entre os amigos sugeridos do Facebook e resolveu chamá-la – bem direto mesmo. “Em menos de uma semana, nós ja ficamos muito próximos e nos falávamos todos os dias”, ela lembra. Mas eles sabiam que ainda demoraria 5 meses para que finalmente pudessem se ver pessoalmente. Enquanto isso, também se falavam muito por Skype. “A gente até já dizia que se amava”, Ianá confessa.
 
Mas nem tudo foi tão parecido com história de filme. Quando estava faltando apenas algumas semanas para ela voltar ao Brasil, o Daniel conheceu uma menina. “Depois de um dia que eu cheguei, ele me mandou uma mensagem dizendo que estava namorando”. Claro que a Ianá ficou superchateada e até parou de falar com ele. Em poucos meses eles terminaram – aí o Daniel foi falar de novo com a Ianá, que nem deu bola. Mas quando é para ser, simplesmente é. Os dois acabaram se encontrando em uma festa e ficaram. Três meses depois, começaram a namorar e estão juntos até hoje. “Faz 7 meses, mas eu considero “namoro” desde que começamos a nos falar, porque ja era uma relação de namorados”, conta Ianá. 
 

A Mariana Farah é a prova de que aquelas investidas no Instagram podem, sim, significar alguma coisa. Foi por lá que ela e a Patrícia começaram a ter contato. “Minha amiga da faculdade me mostrou o insta de uma amiga dela e eu achei super engraçado. Resolvi seguir e, depois de minutos, ela já me seguiu de volta”, a Mari conta. Curtida vai, curtida vem, depois de algum tempo elas já tinham se adicionado no Snapchat e no Facebook também (é como dizem: quando começa a adicionar em outras redes, “hmmmm”). A Pati até elogiou o cachorrinho da Mari pelo chat do snap, mas até então, elas não tinham muito papo. 
 
Um mês depois que elas começaram a conversar de verdade: “Ela me chamou e conversmos a semana inteira. Achávamos que seríamos muito amigas, mas foi surgindo um interesse em ficar“, lembra a Mari. E foi o que aconteceu na mesma semana. Já apaixonadas, elas foram para uma festa de formatura e voltaram em um ônibus alugado com mais gente que estava lá. “Porém, nós dormimos e quase fomos parar em Jundiaí – eu acordei no meio da estrada”, ela completa. Esse momento marcou tanto que a Patrícia pediu a Mari em namoro de um jeito muito fofo: “Ela me deu uma passagem de Ônibus pra Jundiaí e atrás pedia pra namorar comigo”, recorda. E a história que começou com um follow back no insta já completa 8 meses!
 
Tá vendo?! Nutrir aquelas esperanças humanas de que o crush virtual vai sair da tela e ficar ao seu lado fisicamente tem fundamento! Pode acontecer, sim, e render uma linda história como a da Isa, da Ianá e da Mari!
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s