Idosa de 101 anos é estuprada pelo genro no interior de Pernambuco

"Ela acorda chorando e não tem dormido direito", desabafou neta da vítimas nas redes sociais

Na última quinta-feira, 7, véspera do Dia Internacional da Mulher, uma senhora de 101 anos foi estuprada pelo genro na cidade onde mora, no interior de Pernambuco. O crime foi denunciado pela filha da vítima e também pela neta, nas redes sociais.

 (Inga Kjer/Getty Images)

Maria Talita postou um texto no Facebook para contar o que tinha acontecido em sua família e fazer barulho. José Bezerra da Silva, de 44 anos, foi preso em flagrante e vai responder pelo crime. “Ela foi estuprada, violentada, não só sexualmente como psicologicamente. Nos últimos dias, ela acorda chorando e não tem dormido direito. Acorda assustada(…) eu sinto o medo dela no olhar quando ela olha pra gente“, escreveu a neta.

A filha da vítima instalou câmeras de segurança no quarto da mãe porque estava desconfiada do comportamento do parceiro, com quem mantinha um relacionamento há mais de 20 anos. O crime foi registrado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Vitória de Santo Antão, cidade com pouco mais de 130 mil habitantes.

No Facebook, Maria Talita mostrou-se indignada com os comentários cruéis que anda ouvindo por aí, de pessoas fazendo “piadinhas” com o fato de que, nessa idade, a senhora deveria agradecer pela oportunidade de ter uma relação sexual. Além disso, o advogado de defesa de José usou esse argumento para tentar diminuir a pena do criminoso. “Na audiência de custódia, a defesa do estuprador disse que ele era apaixonado por minha avó e ela era apaixonada por ele, como se toda a barra que estamos passando ainda fosse uma besteira. Eles querem insinuar que minha avó, de 101 anos, que não consegue nem tomar um banho e comer sozinha, está apaixonada pelo próprio estuprador. Até quando a vítima vai ser a culpada?“, questionou.

 (Reprodução/Reprodução)

José Bezerra foi condenado pelo crime de estupro de vulnerável. Se uma mulher jovem que sofre um trauma desse tipo muitas vezes não tem forças para seguir com a denúncia, por medo e vergonha, na maioria dos casos, o que dirá uma idosa de 101 anos? Cabe a nós também refletir sobre alguns comentários que falamos e ouvimos, às vezes, da boca para fora, mas que contribuem com a cultura do estupro, do tipo: “Nossa, ela deveria agradecer por alguém ainda querer transar com ela nessa altura do campeonato”. Não é engraçado. Repense o que fala e escuta. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s