Expurgo no Espírito Santo? Leitoras narram cenário de caos e medo

'Ninguém tem coragem de sair de casa. Estamos vivendo como verdadeiros prisioneiros.'

De repente, o estado do Espírito Santo ganhou destaque nos noticiários, nas redes sociais, nas conversas de elevador. Tudo começou no último sábado, 4, quando familiares de policiais militares do Estado iniciaram um protesto em prol de melhorias nos salários da PM. De acordo com informações divulgadas pela BBC Brasil, o major Rogério Fernandes Lima, Presidente da Associação dos Oficiais Militares do ES, contou que alguns de funcionários estavam passando fome e trabalhando sem benefícios.

Expurgo no Espírito Santo? Leitoras narram cenário de caos e medo Poucos carros arriscam-se a sair nas ruas da região de Grande Vitória. Avenidas seguem desertas.

Poucos carros arriscam-se a sair nas ruas da região de Grande Vitória. Avenidas seguem desertas. (Reprodução/)

Tudo, porém, parece um pouco técnico e distante demais para quem não mora nesse cantinho litorâneo localizado na parte Sudeste do país. Sabe-se que, desde o último final de semana, mais de 70 mortes foram confirmadas no estado, que o DML (Departamento Médico Legal ) de Vitória paralisou os serviços por não ter mais espaço para tantos corpos e que o prejuízo com o comércio já passa de R$ 4,5 milhões. Mas como está sendo viver em uma terra sem lei? A CAPRICHO conversou com duas leitoras que moram no Espírito Santo e contam o que mudou na rotina delas desde a paralisação da PM.

R.A.*, de 19 anos, mora na Serra, no bairro de Nova Almeida, e já faz alguns dias que escuta incansáveis barulhos de moto e tiro. “Parece um filme de terror! Eu nunca imaginei que passaria por uma situação dessas. Só consigo pedir a Deus para que tudo acabe”, desabafa a jovem, que está presa em casa desde o final de semana.

Expurgo no Espírito Santo? Leitoras narram cenário de caos e medo Imagem mostra loja de variedades após ser saqueada. O prejuízo é grande – e não estamos falando apenas do financeiro.

Imagem mostra loja de variedades após ser saqueada. O prejuízo é grande – e não estamos falando apenas do financeiro. (Reprodução/)

I.X.*, de 16 anos, mora no bairro de Jacaraípe, também na Serra, e teve a volta às aulas adiada por conta da onda de violência. “Ninguém tem coragem de sair de casa. Estamos vivendo como verdadeiros prisioneiros e vendo as coisas acontecerem sem podermos fazer nada. Padarias, mercados, farmácias, escolas, está tudo fechado. Chegamos ao ponto de alguns ônibus terem sido dirigidos pela população, já que os motoristas não saíram de casa para trabalhar”, conta. A adolescente, inclusive, ficou com o coraçãozinho na mão quando na manhã da última segunda-feira, 6, seu pai resolveu tentar a sorte e ir até a padaria do bairro. “Fiquei com muito medo e logo liguei para ele e pedi para que voltasse para casa”, lembra.

Apesar de já ter sido assaltada anteriormente, R.A. afirma que nunca se sentiu com tanto medo como se sente agora. Às 18h26 da última segunda, ela mandou uma mensagem para a CAPRICHO contando que o Exército tinha acabado de chegar na região metropolitana de Grande Vitória. Apesar de o alívio momentâneo causado pela notícia, e de um possível respiro de paz trazido por ela, muitos moradores ainda estão receosos, já que, para piorar a situação, Paulo Hartung, Governador do Espírito Santo, encontra-se internado em São Paulo desde o dia 4, após passar por uma cirurgia de retirada de um tumor na bexiga.

Expurgo no Espírito Santo? Leitoras narram cenário de caos e medo Corpos se encontram no chão dos corredores do DML por falta de espaço nas salas.

Corpos se encontram no chão dos corredores do DML por falta de espaço nas salas. (Reprodução/)

Sem policiamento e sem Governador, o Estado ficou caótico. “É horrível não ter liberdade, é horrível saber que se eu sair na rua, posso perder minha vida. Algumas residências foram invadidas no meu bairro, condomínios foram saqueados, loja foram roubadas”, lamenta I.X.. A angustia de não saber quando tudo terminará – e como e se terminará – é o pior. “São poucos homens do Exército para tanto caos”, garante a jovem, que completa dizendo que ficar sabendo de tantas mortes, tantos assaltos e tiroteios é angustiante.

Na terra sem lei do Espírito Santo, bandidos dirigem viaturas policiais, ônibus estão sendo queimados, candidata à vereadora é flagrada saqueando loja, avenidas estão desertas, shoppings estão fechados, pessoas estão saindo com metralhadoras nas ruas e matando, muitas vezes, por puro prazer.

Expurgo no Espírito Santo? Leitoras narram cenário de caos e medo A situação de muitos hospitais no ES é caótica. Como reverter esse quadro?

A situação de muitos hospitais no ES é caótica. Como reverter esse quadro? (Reprodução/)

Como nós, a mídia, podemos ajudar? Talvez disseminando a verdade, não tentando mascarar fatos por conta de ideologias políticas, questionando o fato de que muitos estão, sim, se aproveitando da situação para saquear lojas e ~entrar na onda~. Triste, mas verdadeiro. O que difere essas pessoas das apontadas como bandidos em potencial? É a arma na mão? Será que  o crime não está muito mais enraizado no ser humano do que imaginávamos?

Expurgo no Espírito Santo? Leitoras narram cenário de caos e medo

 (Tumblr/)

“Foi do dia para a noite”, afirmam as leitoras. Não te assusta pensar que um período de 12 horas pode mudar a sua realidade? O expurgo, minha gente, parece que já começou.

*Preferimos preservar a identidade das jovens por precaução.

 

+ Leia mais: Carolina Santos estava no ônibus e perdeu a mãe e o irmão no acidente em Ibitinga

volta-as-aulas

 (/)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Luiza Lannes

    moro no espirito santo,e concordo com a capricho a gente está em prisão domiciliar,ao inves do proprios ladrões e bandidos,não há aulas e nem trabalho e as pessoas só perdem educação,dinheiro e oportunidades,até quando isso vai continuar?pedimos socorro!luiza,10 anos

    Curtir

  2. Layane Pessanha

    Moro no ES, NA CIDADE DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM. Ultimamente TODO o Estado vem sofrendo com a paralisação da PM, só na minha cidade forá contabilizados 25 MILHOES de prejuízo aos comerciantes. Aqui estamos a mercê de bandidos porque o foco de policiamento está na capital, nós contamos só com a guarda municipal (que a princípio andava desarmada, mas por ordem judicial faz uso dos armamentos da PM, pelo menos por esses dias)…. E o governo não quer saber de diálogo, vários arrastões, tiroteio. Pra ter noção, não consigo ir na padaria!!! enfim… só um desabafo, e ainda acham justo que o exército e as forças armadas estejam só na Capital ou nas cidades mais importante$. ES não é só Vitória!

    Curtir

    1. Maria Eduarda Poncio Soares

      Também moram aqui. A coisa ta feia aqui também, mas como sempre ES é só Vitória.

      Curtir

      1. Maria Eduarda Poncio Soares

        moro*

        Curtir

    2. Luiza Rodrigues

      Eu moro a 10 minutos do Centro de Vitória , mas o exército não passou por aqui. Ele não vem nos morros onde a população está refém dos bandidos também. No Centro mesmo hoje de manhã não havia caminhões do exército. Eles estão nos locais onde foram registrados os maiores índices de violência, como a Serra por exemplo. Eu não posso sair de casa após a 18h devido o toque de recolher, nem a Guarda está aqui. Entendo que o interior do estado está desprotegido, Mas nem Vitória toda foi coberta, eles passam poucas vezes. As unidades de pronto atendimento não estão funcionando, a você ligar pro Samu , eles não mandam ambulâncias sem escolta policial.

      Curtir

  3. Tamar Saloto

    Sou moradora do ES, a situação está triste demais, minha cidade é uma “cidade morta”, não vê ninguém nas ruas, tudo fechado, todos prisioneiros em suas casas. Na segunda-feira, 07/02, ainda nos arriscamos a ir para o trabalho, mas tivemos que correr para casa por causa da situação de terror. No momento em que estava indo pra casa, bandidos escondidos atrás de um muro atiraram nos carros que estavam na frente do que eu estava, para tentar nos fazer parar, mas logo aceleramos, foi por muito pouco. Eles estão tentando esconder a situação horrível, mas só quem está aqui pode ver e sentir o medo a todo momento, todos tensos, e sem expectativa de melhora.

    Curtir

  4. Jacyan Harani

    A todos vocês que estão nessa situação , eu espero que tudo isso acabe logo , vocês tão vivendo um apocalipse .

    Curtir