Diário de Intercâmbio: distância virou detalhe com a tecnologia

Se antes a distância era um empecilho para você pensar duas vezes antes de fazer um intercâmbio, agora ela não é mais!

Por Da Redação - 9 nov 2017, 17h51

Por Marcela Bonafé

Dia desses, estava conversando com uma galera no celular e parei para refletir como a tecnologia encurta mesmo as distâncias. Se seus pais têm um pé atrás de deixar você fazer intercâmbio, ou esse receio parte de você mesmo – principalmente por conta de saudade –, vem cá, vamos conversar!

MIGA, QUE SAUDADE! Arquivo Pessoal/Reprodução

Vira e mexe lembro da minha mãe me contando sobre quando ela era jovem e foi trabalhar um tempo na Suíça: não tinha celular nem computador, câmera fotográfica precisava do rolinho de filme e a única forma de se comunicar com a família era por cartas, que demoravam muito para chegar. Em um cenário desses, acho bem coerente que meus avós, na época, tenham ficado preocupados e mortos de saudade.

Aí eu penso em como as coisas estão sendo aqui para mim hoje e só posso dizer “amém, tecnologia”. É óbvio que nada se compara ao contato físico, nem a um abraço, nem à conversa olhos nos olhos, mas venhamos e convenhamos que ter um smartphone na mão ajuda e muito. A saudade não deixa de existir, acho que isso é impossível a não ser que inventem teletransporte, mas o fato de poder clicar num botão e falar com a pessoa a qualquer momento dá uma boa aliviada.

Continua após a publicidade
E olha que nem faz tanto tempo assim, hein?! Arquivo Pessoal/Reprodução

Constantemente eu mando WhatsApp para os meus pais contando como estão as coisas, faço uma ligação ou até mesmo uma chamada de vídeo, o que sei que os tranquiliza bastante e me faz sentir mais segura também. Com os amigos é a mesma coisa: eu não perco os bafos que estão rolando pelo Brasil, ao passo que eles sabem os detalhes do que se passa por aqui. Dá até para mandar vídeos e fotos para ilustrar aquilo que a gente conta (ou print de conversas… falei e saí correndo).

Sei que isso já é normal e natural para quem nasceu do fim dos anos 90 para cá, e estou aqui justamente destacando como essas facilidades podem ser muito importantes – ainda mais quando se tem sinal de internet em todo canto. Você pode estar longe, mas continua presente!

Dá até uma aquecida no coração abrir um pacote vindo de casa. Arquivo Pessoal/Reprodução

Outra coisa que acho bem legal, principalmente para quem vai ficar muito tempo, é a praticidade de encontrar produtos do seu país em outros. Fui a um mercado aqui e achei vários produtinhos brasileiros que me fizeram sentir mais próxima de casa. Ainda, o sistema de envio de pacotes também é muito mais rápido. Minha mãe me mandou uma caixinha no mês passado com algumas coisas e em menos de duas semanas, estava aqui com pães de mel, livro da minha escritora favorita e até presentinho da minha amiga.

Tudo isso para dizer que caso o que esteja deixando você ou seus pais na dúvida sobre fazer intercâmbio seja o apego, a questão da saudade ou a distância, se joga. Com um celular e wi-fi você pode resolver problemas, contar as novidades, jogar conversa fora, desabafar, ver quem você ama e compartilhar cada momentinho ao vivo e a cores.

Continua após a publicidade

O mundo nunca esteve tão próximo, então bora explorá-lo?

Salut!

Ma Bonafé

 

Publicidade