Dia do livro: Indicamos os favoritos da redação

Até porque, nada melhor para comemorar essa data do que a companhia de uma boa história, não é?!

Hoje é o dia internacional do livro, esse objeto maravilhoso que tem a capacidade de te levar para um outro mundo sem que você precise sair do lugar. Neles, é possível conhecer diferentes personagens, cenários, histórias e fantasias – independente do gênero literário. Com tantos detalhes, não é a toa que o livro favorito de uma pessoa pode dizer muito sobre ela. Em algumas páginas, dá para conhecer um pouco dos gostos e da personalidade de alguém.
 
Sendo assim, selecionamos os preferidos da Redação CAPRICHO para recomendar… afinal, para um bom leitor, indicações de livros nunca são demais! hehe
 
 
O Diário da Princesa (Meg Cabot)
Talvez você já tenha visto o filme. É a história de Mia Thermopolis, uma jovem comum e que não é muito autoconfiante, principalmente por ser bem alta e ter pouco peito. Ela vive alguns conflitos cotidianos como o fato da mãe namorar seu professor de álgebra – que é uma matéria que ela tem muita dificuldade. Para completar, ela é apaixonada pelo cara mais popular do colégio e tem certa rivalidade com uma líder de torcida. Eis que o pai de Mia, que ela só vê no Natal, revela à filha que ela é a princesa herdeira do trono de Genóvia. Aí as coisas começam a mudar… – Indicado por Amanda Caroline, estagiária de beleza
 
O Primo Basílio (Eça de Queirós)
Esse é um clássico. Em Lisboa, o casal Jorge e Luisa são típicos burgueses com uma vida meio monótona, até que o homem precisa viajar a trabalho. Enquanto ele está fora, Luisa recebe a visita de seu primo, Basílio, com quem acaba traindo o marido. O problema é que ela tinha uma criada que consegue ler uma das várias cartas que os primos se enviaram e usa isso como chantagem, fazendo Luisa se sujeitar a diversas humilhações. Quando Jorge retorna, a esposa está doente e abatida. Para saber como a história segue, você vai ter que ler. Só te damos um spoiler: ele acaba descobrindo sobre a traição. – Indicado por Aline Fava, editora de moda
 
 
A Sereia (Kiera Cass)
A joven Kahlen foi salva pela Água durante um naufrágio, mas, em troca da sobrevivência, virou uma sereia. Por cem anos, ela teria que usar a própria voz, agora fatal, para atrair pessoas para o mar, onde morreriam afogadas. Ela vai cumprindo a dívida corretamente, mas um cara entra em seu caminho: Akinli. Os dois começam a se gostar, mas Kahlen não deve falar com ele, pois o faria mais uma vítima de afogamento. A questão é que ela, como sereia, não poderia se apaixonar por um humano, senão seria punida pela Água. Mas por Akinli ela acaba seguindo o coração. E agora?! – Indicado por Jordana Pires, editora de vídeos
 
Sete dias sem fim (Jonathan Tropper)
Em poucos dias, a vida de Judd Foxman virou de cabeça para baixo: ele perdeu o emprego, descobriu que era traído pela esposa e, para completar, seu pai faleceu. Como se já não fosse complicado o suficiente, o último desejo do pai foi que a família toda cumprisse um luto de 7 dias a partir do enterro dele (ritual judaico chamado shivá). Isso leva a uma reunião não muito agradável dos quatro irmãos e da mãe, e na verdade nenhum deles está em um momento bom da vida. Não é preciso nem dizer que esse período se torna cheio de tensões, brigas, momentos engraçados e reconciliações, né?! – Indicado por Gabriel Justo, estagiário de entretenimento
 
 
Uma Pergunta Por Dia (Potter Style)
É como se fosse um diário diferente. Como o próprio título diz, você tem uma pergunta para responder por dia. Mas cada uma delas tem espaço para cinco respostas – é aí que fica mais legal: você vai repetir o livro por cinco anos. Assim, dá para comparar e perceber suas próprias mudanças com o passar do tempo, como se a página se renovasse. As questões são muito variadas e vão desde coisas simples como “para onde você quer fazer sua próxima viagem” até umas mais complexas, como “que personalidade falecida você gostaria de ressucitar para poder jantar com ela?”. – Indicado por Débora Islas, diretora de arte
 
Orgulho e Preconceito (Jane Austen)
Como foi escrito em 1797, se passa nessa época. Elizabeth Benett é uma jovem muito inteligente e esclarecida, de uma família não muito rica. Sua mãe é desesperada para casar as cinco filhas com homens ricos a fim de garantir-lhes um bom futuro. Quando Charles Bingley chega à cidade, atrai a atenção de todos, principalmente de Jane, a irmã mais velha de Elizabeth. A questão é que ele leva junto o melhor amigo, Fitzwilliam Darcy. Esse é o personagem que, durante a leitura, você vai odiar muito e amar muito – assim como a protagonista. Elizabeth e Darcy têm que lutar contra os próprios preconceitos e o orgulho para que reconheçam seus verdadeiros sentimentos. – Indicado por Marcela Bonafé, estagiária de comportamento
 
 
O Velho e o Mar (Hemingway)
Conta a história de Santiago, um velho pescador que está há mais de 80 dias sem conseguir nenhum peixe. Com isso, seu ajudante Manolin acaba indo trabalhar com um outro pescador considerado mais sortudo. A grande aventura começa no 85º dia, quando ele, sozinho, fisga um peixe de um tamanho nunca antes visto. Enorme, o animal resiste, o que exige muita força física e psicológica de Santiago. Durante quase 100 páginas, o velho luta com o peixe e também, como entrega o título, com o mar. O enredo é uma metáfora da relação das pessoas com a vida e a própria natureza. A leitura exige muita sensibilidade. – Indicado por Thiago Teodoro, diretor de redação
 
Harry Potter (J.K. Rowling)
A série de sete livros é tão famosa mundialmente que quase dispensa apresentações. A história gira em torno do órfão Harry Potter, que descobre que é um bruxo quando completa 11 anos. Ele vai para a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts e é por lá que as aventuras com seus amigos Hermione e Rony acontecem. Ainda no seu primeiro ano na escola, ele descobre que o malvado Voldemort quer matá-lo a todo custo. Ele terá que tentar acabar com o vilão antes que todo o mundo bruxo seja tomado pelo mal. – Indicado por Gabriela Zocchi, repórter de entretenimento
 
 
Toda Poesia (Paulo Leminski)
O livro reúne todas as poesias do artista curitibano Paulo Leminski, mostrando sua trajetória como poeta. A variedade de estilos fica muito evidente  através de poesias mais concretistas, outras mais prosaicas, algumas marginais e até haikais. Se em alguns momentos ele era extremamente sensível e profundo, tocando em assuntos clássicos como amor, alegria, dor e sofrimento, em outros ele escrevia sinteticamente, deixando que o próprio leitor encontrasse o sentido, como no poema de apenas uma palavra: Perhappiness. – Indicado por Letícia Tercini, estagiária de arte
 
Reparação (Ian McEwan)
Com 13 anos, Briony Tellis aspira ser escritora (a mente fértil ela tem). Um dia, acaba lendo uma carta de amor, com um teor sexual, que o filho do jardineiro da família, Robbie Turner, enviou para a irmá dela, Cecília. Depois, se depara com uma cena que a deixa chocada: sua irmã mergulhando, apenas de calcinha e sutiã, na fonte do quintal para resgatar um pedaço de vaso quebrado – na frente de Robbie. Com a inocência de uma criança e em uma época em que a questão de moral e bons costumes era forte, Briony acaba concluindo que Robbie era psicopata e o acusa por um episódio que acontece mais para frente. Toda a situação criada pela menina destrói a família e a menina tenta consertar o que causou. – Indicado por Juliana Costa, editora de beleza
 
 
Alta Fidelidade (Nick Hornby)
Rob Fleming é um homem de 35 anos, interessado na cultura pop, dono de uma loja de discos que está quase falindo e ainda ama sua recente ex-namorada, Laura. Que fase! Quase no fundo do poço em todas as esferas da vida, ele faz uma lista dos Top 5 términos mais traumáticos da sua vida e transporta o leitor para vários períodos de sua história. Tudo isso é embalado em músicas que marcaram alguns momentos do personagem. Dessa forma, é possível conhecê-lo e entender como ele chegou até a complicada situação em que se encontra. É uma história de amadurecimento: o Rob do começo do livro é bem diferente do Rob do final. – Indicado por Bruno Dias, editor de entretenimento
 
1984 (George Orwell)
O romance famoso mundialmente retrata, de forma literária, o totalitarismo. A fictícia Oceânia é um mundo sombrio, liderado pela autoridade suprema Grande Irmão, que consegue monitorar e espionar a população inteira, mas nunca foi visto por ninguém. Por lá, opressão física e mental é cotidiana. O protagonista do livro é Winston Smith, que trabalha em um dos ministérios falsificando documentos históricos e odeia o sistema em que vive, mas seu único lugar de desabafo é um diário. Quando se apaixona por Julia, uma moça de outro departamento, que correspondem. As coisas complicam para eles, afinal, em um cenário tão restrito, era proibido ter relações amorosas. Como será que eles vão lidar com isso? – Indicado por Cibele Gomes, diretora de arte
 
Agora queremos saber qual é o seu livro preferido! Conte para a gente nos comentários.
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s