Brasileira de 23 anos cria projeto de colorir 39 mil fotos do Holocausto

A intenção de Marina Amaral é dar cor aos grandes personagens que tiveram narrativas trágicas no início da Segunda Guerra Mundial.

No início da Segunda Guerra Mundial, o regime nazista comandado por Adolf Hitler matou cerca de 2,7 milhões de judeus por asfixia com gás venenoso ou fuzilamento, enquanto outros 3,3 milhões foram mortos devido aos tratamentos cruéis que recebiam nos campos de concentração, como fome, frio, doenças e espancamento. Aproximadamente, dois terços dos judeus que viviam na Europa antes do início da guerra foram assassinados.

Conhecido como Holocausto, o extermínio em massa dos judeus ficou marcado como uma das maiores atrocidades da História.

Pensando em trazer mais conhecimento sobre o que ocorreu durante esse triste período, a artista mineira Marina Amaral passou cerca de um ano em negociações com o Memorial de Auschwitz, na Polônia, para ter acesso ao acervo de 39 mil fotos do Holocausto. A intenção dela é colorir as fotos em preto e branco de grandes personagens que tiveram fins trágicos na época. Segundo ela, outro objetivo é levantar dados históricos para mostrar a cena da forma que os fotógrafos a viram.

Uma das fotografias mais impactantes é a de Czeslawa Kwoka, uma polonesa judia que foi morta com uma injeção no coração, no campo de Auschwitz. Ela tinha apenas 14 anos.

Czeslawa Kwoka.

Czeslawa Kwoka. (Marina Amaral/Reprodução)

Marina teve o trabalho reconhecido em 2016, quando começou a divulgar imagens coloridas de eventos históricos. As respostas foram boas e o museu de Auschwitz permitiu que ela trabalhasse com as fotos do acervo, mas com algumas condições: Marina teria que incluir uma marca d’água na versão colorida feita por ela e compartilhasse a imagem original em preto e branco junto à modificada.

O trabalho é realizado a partir de uma cópia digitalizada, não a versão original.

Sophie Scholl.

Sophie Scholl.  (Instagram/Reprodução)

Através do Photoshop, Marina também já pintou mulheres com histórias trágicas, como Rainha Elizabeth II, Audrey Hepburn, Priscila Presley e outras heroínas.

Em agosto, Marina irá lançar um livro na Europa com mais de 200 fotos coloridas, cobrindo o período de 1850 a 1960. As obras cedidas por Auschwitz não serão incluídas no livro, pois são restritas somente à divulgação nas redes sociais.

Para conferir todas os trabalhos de Marina, acesse @marinaarts no Instagram.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s