Barbie Frida Kahlo gera polêmica e é alvo de críticas na web

'O capitalismo se apropria de tudo para gerar valor', detonam internautas.

Por Isabella Otto - 10 mar 2018, 11h19

A Mattel anunciou uma linha colecionável de bonecas em homenagem ao Dia Internacional da Mulher. Ao todo, são 17 opções, que vão desde jogadoras de futebol a pilotos de avião. Uma em especial chamou a atenção: a Barbie Frida Kahlo.

Divulgação/Divulgação

Prevista para chegar ao Brasil ainda em março, custando R$ 249,99, a boneca agradou de início. Não há como negar que, visualmente, ela é muito bonita e os detalhes na roupas são incríveis. Contudo, com o tempo, essas perfeições foram incomodando alguns olhos

“É uma estética que vende e, ao final, não rompe nem contesta nada. O auge foi esse lançamento da Mattel. Barbie Frida, galera… Isso porque o capitalismo se apropria de tudo para gerar valor”, contestou Taylisi Leite, professora universitária e mestre em direito, no Facebook.

A ativista não foi a única a fazer tal crítica. A própria família de Frida soltou um comunicado afirmando que não aprova a atitude da Mattel. “A senhora Mara Romeo, sobrinha-neta da Frida Kahlo, é a única detentora dos direitos de imagem da ilustre pintora mexicana“, está escrito em nota. Em entrevista à agência AFP, Mara ainda critica a aparência ~perfeitinha~ da boneca. “Gostaria que ela tivesse mais traços como os da Frida, não essa boneca com olhos claros”, afirma.

Há muitas opiniões contrárias envolvendo a parte política relacionada à história da mexicana. Muitos a consideram uma militante comunista. Outros, contudo, acham que ela só se tornou simpatizante da ideologia por causa de Diego Rivera, seu grande amor. Fato é que Frida é, sim, muito ligada ao comunismo, cujas ideias batem de frente com as do capitalismo. Logo, não seria justo lucrar com a venda de uma boneca de Kahlo, certo?

Continua após a publicidade

Ela era comunista, o fato de a Mattel transformá-la em uma mercadoria produzida em massa é terrível“, disse o usuário @thotito no Twitter. O internauta também questionou a aparência da Barbie: “Frida era uma mulher incapacitada e todos estão apagando essa parte crítica dela”.

Veja mais alguns posicionamentos que foram feitos:

A Mattel, por enquanto, se justificou apenas a respeito da alegação feita pela família da artista mexicana. “A Mattel trabalhou em parceria com a Frida Kahlo Corporation, a dona de todos os direitos relacionados com o nome e identidade da Frida Kahlo, na criação desta boneca. Temos a sua permissão e um acordo legal para fazer uma boneca à imagem da grande Frida Kahlo”, assegurou porta-voz.

Continua após a publicidade

A ativista Taylisi Leite finalizou o assunto trazendo um debate bastante interessante à questão: “As mulheres que simbolizam o feminismo para mim são Angela Davis, Margarida Alves, Alexandra Kollontai, Patrícia Galvão, Simone de Beauvoir… Não Frida Kahlo. Essa Barbie só prova o que eu penso: Kahlo nunca foi sinônimo de feminismo“, escreveu no Facebook.

É claro que tem o outro lado da história, que acredita que seja importante para crianças terem contato com uma Barbie Frida Kahlo, uma mulher que historicamente foi muito importante para a luta feminina, apesar das tantas controvérsias.

E aí, qual é a sua opinião sobre o assunto?

Publicidade