Amizade tóxica: como saber se aquela amiga não é tão amiga assim

Amizade de verdade não é aquela que te deixa para baixo. Será que você sabe reconhecer uma amiga que está sendo tóxica para você?

Todo mundo já está sentindo aquela pontadinha de saudade de Pretty Little Liars, né? Enquanto a gente espera o fim da sétima temporada, nós da CAPRICHO queremos voltar um pouquinho no tempo para discutir um assunto bem importante. Lembram-se da primeira temporada, em que íamos descobrindo aos poucos como era o relacionamento da Alison com as outras meninas, ao mesmo tempo em que recebíamos pistas sobre o que havia, de fato, acontecido com a garota? Mesmo que Emily, Hanna, Spencer e Aria sentissem falta da amiga, não dá para negar que a Queen B de Rosewood era bem cruel, especiamente com Hanna. Ela vivia fazendo comentários negativos sobre a garota, principalmente a respeito de seu peso. Infelizmente, esse tipo de amizade que só parece empurrar a gente para baixo não rola só na ficção.

Amizade tóxica: como saber se aquela amiga não é tão amiga assim

 (Tumblr/Reprodução)

L.M. era amiga de M.C. desde a pré-escola. Quando elas tinham 12 anos e mudaram de período escolar, acabaram em uma sala em que não conheciam ninguém. M.C. se enturmou rápido, fez novos amigos e começou a despertar o interesse de alguns garotos. Nada disso aconteceu com L.M., que passou a ser mal tratada pela amiga de infância por ser mais tímida e nunca ter beijado. “A gente sempre brigava por causa disso”, recorda L.M. “Em uma das nossas discussões, ela começou a falar sobre como eu deveria parecer fisicamente, o que eu precisava mudar na minha aparência. Eu insistia muito nessa amizade. Fui atrás dela e comecei a ver todos os defeitos do mundo em mim. Me sentia um lixo, não tinha mais vontade de ir para a escola, chorava praticamente todos os dias”.

A amizade adquire um valor muito alto na adolescência. A professora Suzanne Degges-White, docente na Universidade de Northen Illinois e coautora do livro Friends Forever: How Girls and Women Forge Lasting Relationships (“Amigas para Sempre: Como Garotas e Mulheres Moldam Relacionamentos Duradouros”, em tradução livre), explica que os adolescentes costumam ter os amigos como “espelhos virtuais” de quem querem ser. “É por isso que as ‘garotas malvadas’ podem ser tão más e, ainda assim, terem seus comportamentos tolerados e endossados”, ela explica em entrevista à CAPRICHO.

Amizade tóxica: como saber se aquela amiga não é tão amiga assim

 (Reprodução/)

“Quando uma amizade se torna tóxica durante a adolescência, isso pode ser especialmente doloroso por duas razões. Primeiramente, devido ao uso das mídias sociais e da tecnologia, um grupo inteiro de amigos pode se voltar contra um deles em um instante”, enumera a professora. “Em segundo lugar, a nossa necessidade de amigos é mais forte durante a adolescência. Então, quando uma amiga se volta contra nós, é como se o nosso mundo caísse! O adolescente costuma ver o seu status social como a medida de seu valor e ele acaba por determinar a sua autoestima, infelizmente”.

Degges-White diz que existem dois principais sinais quando o assunto é uma amizade que se torna tóxica: (1) aquele aviso que vem da intuição que diz que você deveria ter desconfiado (mesmo que, às vezes, a gente acabe ignorando esse aviso para dar à amiga o benefício da dúvida) e (2) certas atitudes e comportamentos da sua amiga. Ela só parece gostar de você ou querer te ver quando precisa de alguma coisa? Ela tenta te isolar de outros relacionamentos? Ela exige de você mais do que está disposta a dar? Você percebe que começou a inventar desculpas e defender a maneira que ela te trata para outros amigos? Pode bater o martelo: tem alguma coisa de errado nessa amizade. Talvez seja hora de dar mais atenção a sua intuição!

Veja também

 

Foi o instinto de J.N. que fez com que ela se afastasse de P.B.. Ambas eram amigas desde pequenas, ainda que muito diferentes. Enquanto J.N. preferia rosa, filmes e funk, P.B. se vestia de preto, ouvia rock e lia muito. J.N. se esforçou para que a amizade das duas continuasse dando certo e tentou até se enturmar com os amigos de P.B. e experimentar as coisas de que ela gostava. “Mas nada parecia suficiente para ela. Nós éramos muito diferentes e os amigos dela sempre acabavam me julgando muito. Sempre que eu falava alguma coisa, ela me cortava”. Depois de ser muito criticada pela antiga amiga, J.N. acabou se afastando dela.

Amizade tóxica: como saber se aquela amiga não é tão amiga assim

 (Tumblr/)

A coach Gisele Gengo destaca a importância da autoconfiança para conseguir lidar com essas situações. “É o que eu falo para os meus alunos: quando o assunto não faz sentido para você, sorria e acene. Não é tudo que você tem que absorver. Vale a pena dar ouvidos para essa pessoa? Se ela te trouxer algo que você possa aproveitar, agradeça a ajuda. Se não, sorria e acene. Entenda o que é tóxico. Vê o que te cabe e siga em frente”, aconselha.

Se você se vê em meio a uma amizade tóxica, não é nenhum pecado se afastar um pouco, ou até mesmo cortar vínculos. O importante aqui é você preservar a sua autoestima e o seu amor próprio. Para isso, você precisa definir os seus limites: o que vale a pena tolerar em uma amizade e o que é inaceitável? Esse também é o conselho de Degges-White. “Se você sente que uma amizade pode ser consertada, esteja pronta para admitir qualquer erro que você tenha cometido. Se a culpa é da sua amiga, seja honesta sobre os seus sentimentos, mas reconheça que ficar culpando um amigo enquanto tenta reconstruir a amizade não será efetivo”, explica a especialista, que completa: “Decida o que você está disposto a tolerar e siga as suas próprias regras sobre o que é ok para amigos fazerem ou não”.

Lembra a L.M., do começo da matéria? Ela reconhece que acabou dizendo coisas das quais se arrepende muito sobre M.C., e conta que sempre pede desculpas a ela. Mesmo assim, ela preferiu se afastar daquela situação toda e decidiu mudar de escola. “Foi a melhor decisão que já tomei na minha vida”, admite. Já J.N. se reaproximou de P.B. depois de um tempo. “Eu achei que valia a pena, mas não da forma que era antes. Eu deixei de querer a aprovação dela, e hoje sou eu mesma, imponho meu ponto de vista. Ainda que ela não tenha pedido desculpas, ela deu alguns sinais de arrependimento. Como eu me afastei, ela passou a me tratar melhor”. Se você está sacrificando sua própria felicidade por uma amiga, talvez essa não seja uma amizade de verdade – mas uma versão tóxica do que você imaginou ser verdadeiro.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s