Corset está de volta à moda. Você já parou pra pensar no significado dele?

Ele já foi símbolo da opressão feminina. Porém, o seu formato - assim como seu significado - mudaram de uns tempos pra cá

As passarelas resgataram o corset, as famosas investiram na tendência e o street style confirmou que ela veio para ficar. Mas, se pensarmos bem, a peça polêmica nunca saiu de moda. Com uma história que começa antes da Idade Média e vai até os dias atuais, o modelo que marca a cintura evoluiu em seu formato e composição ao longo do tempo, assim como no seu significado.

Zendaya usando uma blusa com modelagem de corset

Zendaya usando uma blusa com modelagem de corset (@zendaya/Instagram)

Se antes o item era usado como uma forma de opressão da mulher, criando um padrão de beleza inalcançável e chegando a machucar fisicamente suas usuárias, hoje ele aparece renovado, sem a intenção de modelar o corpo e saindo para fora da roupa, como uma terceira peça ou a estrela do look, tipo esse visual da Zendaya.  

O novo corset virou um símbolo da liberdade feminina e da luta das mulheres para acabar com o que as reprimia. Se apropriar de um objeto tão marcante da repressão e transformá-lo no contrário do que um dia ele já foi é também uma forma de estampar a mudança

Você já parou para pensar no significado do corset?

Você já parou para pensar no significado do corset? (Getty Images/Getty Images)

Há muitos e muitos anos…

Por volta dos séculos 14 e 15, o ideal era que as roupas ajudassem a manter a postura ereta, e foi a partir desse desejo social que o corset surgiu. Ao longo do tempo, sua estrutura foi modificada e se tornou mais enrijecida, modeladora e incômoda

Com a chegada da Primeira Guerra Mundial, no início do século 20, as mulheres precisaram ocupar os postos de trabalho e o guarda-roupa teve que acompanhar essa mudança, ficando mais prático e confortável. Foi nesse momento que peças soltas e até calças começaram a aparecer no visual feminino.

Bella Hadid usando um modelo de corset vintage da estilista Vivienne Westwood, criado em 1990.

Anos 1980 e 1990

O espartilho ficou um tempo fora da moda e voltou nas décadas de 80 e 90 completamente repaginado. O movimento hippie, nos anos 1970, iniciou o resgate do modelo em tecidos leves e românticos, quase como um acessório. Porém, foi nos anos 1980 que ele ganhou um novo significado, com um ar fetichista e burlesco. A estilista Vivienne Westwood recriou o corset com sua estética punk e usou-o como um símbolo da transgressão cultural. Sua ideia, na época, era tirar a peça do mundo da lingerie e trazê-la para o dia a dia, como uma forma de empoderar as mulheres ao invés de aprisioná-las.

Quem lembra de Kat, de Euphoria, usando um corset de couro depois que ela mudou seu estilo para uma pegada mais punk?

View this post on Instagram

life is strange and cool. @likethejetsons

A post shared by barbie ferreira (@barbieferreira) on

Nos anos 1990, Madonna chocou todo mundo ao vestir uma versão cor-de-rosa do estilista Jean-Paul Gaultier em sua turnê Blond Ambition. Gianni Versace, que sempre trabalhou com o sexy, e Alexander McQueen, também conhecido pela estética punk e transgressora, foram outros designers famosos que ressignificaram o item, atrelando a ele um tom de rebeldia, de exigência pelo direito de decidir o que vestir e como lidar com o próprio corpo.

Madonna na turnê Blond Ambition, usando o espartilho criado pelo designer Jean-Paul Gaultier

Madonna na turnê Blond Ambition, usando o espartilho criado pelo designer Jean-Paul Gaultier (Gie Knaeps/Getty Images)

De volta aos dias atuais

Desde o Outono/Inverno 2019, o corset voltou a aparecer nas passarelas. Agora, durante a Semana de Moda de Nova York, que iniciou a temporada de Primavera/Verão 2020, os desfiles confirmaram que a peça será uma das tendências da vez. 

Desfiles das grifes Sandy Liang, PRISCAVera e LaQuan Smith na NYFW Primavera/Verão 2020

Desfiles das grifes Sandy Liang, PRISCAVera e LaQuan Smith na NYFW Primavera/Verão 2020 (@sandyliang @ laquan_smith @priscavera/Instagram)

Tecidos leves e texturas diferentes marcam os modelos atuais. A retomada do corset vem junto da volta das lingeries à mostra. Seja do slip dress que anda bem forte ou do sutiã aparente, as peças de baixo estão sendo usadas como uma maneira de reafirmar o direito não só da sensualidade, mas da escolha sobre o que e como usar as roupas. Em tempos de radicalismo e repressão ao redor do mundo, a moda, mais do que nunca, é vista como um símbolo da democracia e do poder de decisão.

As celebridade estão apostando em tops, vestidos e até cintos com formato de corset. Lizzo, Dakota Johnson e Gigi Hadid são algumas das famosas que criaram produções casuais e sofisticadas com o item

As celebridade estão apostando em tops, vestidos e até cintos com formato de corset. Lizzo, Dakota Johnson e Gigi Hadid são algumas das famosas que criaram produções casuais e sofisticadas com o item (@lizzobeeating, Joe Scarnici/WireImage e Jim Spellman/Getty Images)

Gostou de saber mais sobre o corset?

*Quem deu informações para esta matéria: Marcio Banfi, professor da pós-Graduação em Styling e Imagem de Moda da Faculdade Santa Marcelina.

Comentários
Deixe uma resposta para Nancy MarkertlifeCancelar resposta

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s