BTS fecha ciclo de 7 anos com o impecável álbum Map Of The Soul: 7

Estilos musicais: K-pop
CAPRICHO
starsstarsstarsstarsstars

Nos últimos meses, o ARMY se preparou para finalmente receber o novo álbum do BTS, Map Of The Soul: 7. Com referências que vão de Carl Jung a mitologia grega, não faltaram teorias para buscar entender qual seria o conceito utilizado pelo grupo. E muita gente acertou! 7 explora a jornada pessoal que Jin, V, Jimin, J-Hope, RM, Suga e Jungkook atravessaram desde o debut, quando gravaram músicas em uma garagem, até a ascensão global como estrelas pop performando no Grammy e lotando estádios mundo afora. “Não há crescimento sem dor”, anunciou Suga durante uma coletiva de imprensa. Foi um caminho duro, mas cheio de recompensas e momentos coloridos graças à amizade sincera dos integrantes.

ON, o novo mv do BTS BigHit Entertainment/Divulgação

Poucas horas antes da estreia do quarto full album, os fãs ganharam uma live especial do grupo no VLIVE. Impecáveis, os meninos se divertiram à beça fazendo jogos e comentando sobre as faixas do novo trabalho. Para a surpresa da maioria, a live atingiu mais de 10 milhões de telespectadores simultâneos, com direito a colaborações, units e solos! Prepare-se, pois chegou a hora de mergulharmos de cabeça em Map Of The Soul: 7!

O projeto contém 20 faixas – o maior LP do grupo até agora -, sendo que Intro: Persona, o hit Boy With Luv, Make It Right, Jamais Vu e Dionysus já haviam sido apresentadas ao público em Map Of The Soul: Persona, álbum de 2019. Já a nova etapa começou com Interlude: Shadow, foi seguida pelo primeiro single, Black Swan, e se completou com Outro: Ego. Até aqui, a gente já tinha ficado sem fôlego, não é mesmo? Mas tem muito mais!

Dando sequência às músicas inéditas, Filter apresenta a melhor versão voz e violão de Jimin. Cheia de gingado latino, a música flerta sobre um romance que tem tudo para ser diferente. Depois, em My Time, temos Jungkook narrando suas emoções mais íntimas.

A próxima é a intensa Louder Than Bombs. A música teve colaboração do cantor e compositor Troye Sivan, que se sentiu honrado pela oportunidade de co-escrever com o grupo e agradeceu a chance nas redes sociais. Na VLIVE, Jungkook disse que essa é a sua canção favorita do disco. Own!

Chegando no title ON temos o melhor exemplo de tudo o que o BTS aprendeu a fazer com excelência durante esses sete anos. Sem precisar de cenários mirabolantes ou de efeitos especiais, o que sobressai nesse hit são os vocais e a coreografia. Provando que são cantores, dançarinos, rappers e produtores de qualidade, os meninos apresentam uma das melhores faixas de toda a discografia do Bangtan. Mesclando jazz, hip-hop e soul, o septeto reflete: “Mesmo que eu caia, eu subo, grito”, e emplaca: “Você não pode me segurar, porque sabe que eu sou um lutador”. O mv recebeu um exército de dançarinos e até a banda marchante Blue Devils para completar a performance feroz. Reforçando ousadia nos passos complicados, a sensualidade dos meninos também não ficou de fora do hit. Confira com seus próprios olhos:

Mais adiante, a rapline formada por RM, Suga e J-Hope foi responsável por UGH!, enquanto a linha vocal apresentada por Jin, Jimin, Jungkook e V embala a alegre 00:00 (Zero O’Clock), fazendo os fãs lembrarem que, mesmo após um dia ruim, as coisas podem melhorar quando o amanhã chegar. As duas são faixas complementares.

Em Inner Child, V analisa sua infância numa canção animada e cheia de explosões. Já em Friends, a amizade mais do que perfeita entre Jimin e V ganhou uma bela homenagem. Entre o mix de vocais doces e abafados, os amigos revelam: “Eu sei tudo sobre você” e “você é minha alma gêmea”.

O fandom também ganhou uma homenagem fofa do Jin em Moon. Anteriormente, o idol já havia citado a faixa num episódio do reality Bon Voyage 4. Mas quem agradeceu o presente do autoproclamado ~worldwide handsome~ foi o ARMY.

RM, o líder do BTS, não ficou de fora da festa! Em Respect, ele e Suga mandam um baita recado para os haters do grupo. Fechando a leva de inéditas, com We Are Bulletproof: the Eternal, sequência para a faixa do single-álbum de estreia do boy group, 2 Cool 4 Skool, de 2013, fica difícil segurar as lágrimas. A faixa mais emotiva de MOTS: 7 chega sem avisar e solta versos como “nós éramos apenas sete, mas nós temos todos vocês agora” e “nós somos eternamente à prova de balas”. Demais, né?

Uma das imagens promocionais de Map of the Soul: 7, o novo álbum do BTS BigHit Entertainment/Divulgação

O nosso panteão de deuses ainda preparou uma versão de ON com os vocais marcantes da cantora pop Sia. Após o lançamento, a faixa se tornou a segunda música de um grupo sul-coreano na história a atingir o #1 no iTunes do Reino Unido. A primeira, você já sabe, foi Black Swan.

Após 7 anos de estrada com louvor, agora os olhos do público se voltam para o futuro do grupo. Mas, se depender dos meninos, nada vai mudar! Durante o programa MAP OF THE SOUL : 7 The Enhanced Album, do Spotify, eles teceram comentários pessoais sobre cada faixa e compartilharam sua visão sobre o que está por vir. “Não vamos perder o foco, iremos avançar para os próximos sete anos”, disse Suga. “Vamos continuar fazendo música e performar” completou Jimin.

Após o lançamento, Map Of The Soul: 7 já é o álbum mais vendido do ano em todo o mundo! Só na pré-encomenda, o disco atingiu mais de 4,2 milhões de vendas. 2020 mal começou, mas o BTS já eternizou sua marca na música. Seguindo o cronograma de divulgação e shows, espera-se que o ano seja agitado e cheio de recordes. E quem sabe a gente não recebe os ícones aqui no Brasil para uma nova rodada de espetáculos incríveis em 2020?