O Diário de Bridget Jones: ame a si mesma que o amor (uma hora) aparece

Neste clássico britânico, Renée Zellweger tem que escolher entre o boy lixo que ela ama ou o boy magia que a ama (quem nunca?)

Quando O Diário de Bridget Jones foi lançado, lá em 2001, o filme deu o que falar. Talvez porque muitas mulheres tenham se identificado com a história, talvez porque a trilha sonora era incrível, ou então até mesmo porque o longa tinha um tiquinho de feminismo, em uma época em que o assunto não estava tão em pauta.

O filme, baseado no livro de Helen Fielding, conta a história de Bridget Jones (Renée Zellweger), uma solteirona de 30 anos que passa a maior parte de suas noites sozinha em casa, assistindo TV, comendo e se lamentando por nunca ter encontrado seu ~príncipe encantado~ e por estar sempre acima do peso.

Em uma festa de Ano Novo, Bridget reencontra Mark Darcy (Colin Flirth), um cara meio coxinha que ela conhece desde a infância, por ser filho dos amigos de seus pais. Quando ouve Mark dizendo que ela é “uma tagarela que fuma como uma chaminé, bebe como um gambá e se veste como a mãe”, Bridget decide mudar sua vida. Ela cria um diário onde promete contar todas as verdades de seu dia a dia e para de se fazer a coitadinha. Ao abandonar os livros de autoajuda, ela se torna uma mulher muito mais confiante, que vai atrás do que quer.

Com esse up na autoestima, Bridget começa a sair com seu chefe, o bonitão Daniel Cleaver (Hugh Grant) . Quando ele topa passar um fim de semana no interior, visitando a família dela, ela acredita que finalmente conseguiu desencalhar. Mas aí, Daniel inventa uma desculpa, volta para Londres e Bridget descobre que ele estava com outra mulher.

Passado o choque inicial, Bridget pede demissão e humilha o cara na frente da empresa inteira. Com o tempo, ela passa também a se aproximar de Mark, que chega a dizer que gosta dela do jeito que ela é. Quando começa a pensar em dar uma chance a ele, Daniel reaparece pedindo que ela volte para sua vida. Bridget descobre ainda que Daniel e Mark já foram amigos e que um traiu a confiança do outro. Aí, cabe à Bridget decidir se dá uma nova chance ao boy lixo, por quem ela ainda sente uma atração, ou se abre seu coração ao boy magia que gosta dela do jeito que ela é. Dilemas da vida!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s