Entenda a luta de Demi Lovato contra as drogas

A cantora começou a usar cocaína aos 17 anos, em parte por causa do bullying que sofria na escola

Por Gabriela Zocchi - Atualizado em 25 jul 2018, 12h22 - Publicado em 24 jul 2018, 18h54

Na tarde desta terça-feira (24), tivemos que lidar com uma notícia muito triste: de acordo com o TMZ, Demi Lovato sofreu uma overdose em sua casa e foi levada às pressas para um hospital em Los Angeles. Infelizmente, o histórico da cantora com as drogas é longo. Aqui, explicamos um pouco melhor a luta dela contra esse vício tão sério.

ELA COMEÇOU A USAR DROGAS NA ADOLESCÊNCIA

Quando era mais nova, Demi sofria bullying na escola, principalmente por causa de seu peso. Foi assim que ela começou a ter alguns transtornos alimentares, como bulimia. Quando entrou na adolescência, uma amiga que era popular com a galera começou a levá-la em festas. Como Demi era desesperada para se encaixar e não ser mais zoada pelos colegas, ela entrou em contato com o álcool e, depois, com as drogas. “Eu senti que estava fora do controle a primeira vez que usei cocaína, mas amei”, contou a cantora em seu documentário, Simply Complicated, lançado no ano passado.

ALGUNS AMIGOS TENTARAM AJUDAR

Continua após a publicidade

No mesmo documentário, Demi contou que alguns amigos tentaram ajudá-la no começo, ao perceber que ela estava passando por momentos tensos. Nick Jonas foi um deles. “Eu sentia que podia tentar fazê-la voltar a ser a Demi que todos nós conhecíamos e amávamos”, disse o cantor, de quem ela é amiga até hoje.

O SOCO NA DANÇARINA

Um dos ápices do vício de Demi aconteceu em 2010, depois de uma briga séria que ela teve com uma de suas dançarinas. “Convidei um monte de gente para jantar, minha banda e as dançarinas. Paguei por todo o álcool, alguém arranjou maconha. Eu usava Adderall [mistura de sais de anfetamina] e nós destruímos o hotel. O hotel estava nos ameaçando e eles perguntaram para as dançarinas o que tinha acontecido. E aí alguém me dedurou por usar Adderall. Alguém contou para o Kevin Jonas Sr., o Phil [empresário] e meu pai. Eu fiquei p***”, contou Demi anos depois, em seu documentário. Ela então manipulou o pai dos Jonas para descobrir que dançarina a tinha dedurado e deu um soco na cara dela no meio do avião! Apesar de tenso, o momento fez com que Demi e sua família percebessem que ela precisava se tratar e, logo depois, ela foi internada em uma clínica de reabilitação.

demi-lovato-tell-me-you-love-me-tour
Demi Lovato na estreia da Tell Me You Love Me Tour Reprodução/Instagram

ALGUMAS RECAÍDAS

Continua após a publicidade

Como é comum com pessoas que têm dependência química, Demi chegou a ter algumas recaídas após suas primeiras internações nas rehabs. Depois da primeira delas, a cantora contou que acreditou estar prestes a ter uma overdose após misturar substâncias como cocaína e Xanax. “Eu comecei a me engasgar um pouquinho e meu coração disparou. Lembro de pensar: ‘Meu Deus, posso estar tendo uma overdose agora'”, disse em seu doc.

Em entrevista ao Access Hollywood, ela revelou que, mesmo após a rehab, não conseguia passar nem alguns minutos sóbria. “Eu chegava a esconder drogas. Não conseguia ficar de trinta minutos a uma hora sem cocaína e a levava nos aviões. Eu praticamente a contrabandeava e esperava até que todos na primeira classe fossem dormir para usar ali mesmo. Eu corria para o banheiro e usava”, revelou.

Reprodução/Instagram

O ULTIMATO

De acordo com a cantora, houve uma noite em que ela chamou duas “pessoas aleatórias” para seu quarto no hotel e ficou completamente bêbada. No dia seguinte, Demi deveria se apresentar no American Idol, mas estava sem condições. “Eu fiquei tão bêbada que vomitei no banco de trás do carro. Sentia que estava em um momento em que não ligava para mais nada. Eu só pensava que precisava ficar doida o suficiente pra passar por qualquer situação que apareceria no meu dia”, contou. Foi então que seu empresário, Phil McIntyre, chegou com um ultimato. Ele e toda a equipe de Demi anunciaram que iam parar de trabalhar com ela caso ela não procurasse ajuda. “Não tem mais nada que a gente possa fazer por você”, disse o agente. E foi então que Demi começou o processo de rehab para valer.

Continua após a publicidade

A GRANDE RECUPERAÇÃO

Determinada a largar de vez a dependência nas drogas, Demi passou quase um ano internada. Para não ter recaídas, ela morou praticamente trancada num apartamento, sem ninguém. Na época, ela ia dos estúdios do X Factor, onde era jurada, diretamente para casa, onde recebia visitas apenas de sua família, seu empresário, um médico especialista e cerca de dois amigos. Demi também passou esse período sem internet e celulares, assim ela não conseguiria entrar em contato com fornecedores de droga caso tivesse uma recaída.

ANOS DE SOBRIEDADE

Depois que finalmente conseguiu se livrar do vício, Demi passou a ser uma espécie de porta-voz para pessoas que passavam por problemas como esse. Ela sempre foi muito aberta com os fãs sobre tudo o passou e tentava incentivar as pessoas a procurarem ajuda caso sentissem que precisassem. Ela é, inclusive, sócia da clínica de reabilitação que a ajudou. Demi conseguiu ficar seis anos sóbria, sem usar drogas ou beber.

Continua após a publicidade

MAIS UMA RECAÍDA

Mas, em junho deste ano, ela lançou a música Sober, em que entrega que voltou a usar drogas. “Eu não sei porque faço isso todas as vezes. Só acontece quando me sinto sozinha. Às vezes eu só quero ceder e não quero lutar. Eu tento, eu tento. Só me abrace, estou sozinha”, canta ela na faixa. “Mãe, me desculpa, mas eu não estou mais sóbria”, completa no refrão. Triste, né?

ENCONTRADA DESACORDADA

Cerca de um mês após lançar a música, Demi foi encontrada desacordada em sua casa em Hollywood Hills. De acordo com o TMZ, os paramédios acreditam que ela tenha sofrido uma overdose de heroína. A cantora recebeu os primeiros-socorros ainda dentro de casa e foi levada a um hospital logo em seguida. Ainda não se sabe o estado de saúde dela.

Continua após a publicidade

Além do bullying, que a incentivou a entrar em contato com as drogas inicialmente, Demi sofre de outros problemas, como transtornos alimentares e de bipolaridade e depressão. Seu pai também era um dependente químico. Por isso é sempre importante pedir ajuda às pessoas próximas caso você passe por situações parecidas, viu?

Estamos torcendo para que ela fique bem! 

Publicidade