Becky Albertalli sobre Love, Simon: “Apaixonada pelo filme”

Autora fala sobre adaptação de seu livro para os cinemas e o livro Os 27 crushes de Molly, lançado no Brasil pela editora Intrínseca

 (Facebook/Reprodução)

Se você está de bobeira em casa nas férias, já temos a dica de leitura perfeita pra você: todos os livros de Becky Albertalli. Principalmente Simon vs. the Homo Sapiens Agenda, que virará filme em 2018, com um elenco formado por Nick Robinson (Tudo e Todas as Coisas, Jurassic World), Katherine Langford (13 Reasons Why), Miles Heizer (13RW), Jennifer Garner e Josh Duhamel.

A adaptação vai levar a história de Simon para as telonas (com o nome Love, Simon). Ele é um garoto gay, mas esconde isso da família e amigos, e passa a trama trocando mensagens com um amor secreto, até que um aluno de sua escola, Martin Addison (Logan Miller), descobre essa troca de emails e começa a chantageá-lo: para não espalhar que o protagonista é homossexual, ele terá que ajudar Martin a conquistar Abby (Alexandra Shipp).

Becky faz parte de toda uma cena de livros para Jovens Adultos (Young Adult), que abordam em suas obras temas como diversidade e representatividade. Aqui no Brasil, além de Simon, a editora Intrínseca lançou este ano Os 27 crushes de Molly. E um terceiro livro dela será lançado ano que vem, Leah On the Offbeat, que continua no mesmo universo de Simon e seus amigos.

CAPRICHO: Você escreveu personagens incríveis em seus dois livros, de onde você tira a inspiração para criá-los? Você os personagens com base em suas próprias experiências pessoais?
Becky Albertalli: Muito obrigado! Criar personagens e poder conhecer suas vozes é minha parte favorita ao escrever. Eu tendo a colocar muito da minha personalidade em meus personagens, embora nenhum deles seja exatamente como eu. Muitas vezes, os personagens do conjunto são semelhantes aos amigos e familiares, e eles tendem a emprestar características de várias pessoas ao desenvolver um personagem. No entanto, grande parte do processo de desenvolvimento de personagens me parece realmente orgânico. Eu conheço esses personagens tão bem na minha cabeça que parece que eles sempre estiveram lá.

Atualmente, temos uma cena muito forte de literatura para Jovens Adultos (YA), com alguns deles explorando o que as pessoas gostam de chamar de “temas adultos”. Você acha que esse tipo de livro está à frente de outros gêneros quando se trata de representatividade e diversidade?
Eu acho que todos os gêneros e categorias de idade, incluindo YA, têm um longo caminho a percorrer quando se trata de representar de forma precisa e autêntica nosso mundo diverso. Dito isto, acho que a comunidade YA está muitas vezes na vanguarda dessas conversas, e estou entusiasmada com as melhorias que vimos nos últimos anos. Os movimentos como, o da Ellen Oh, We Need Diverse Books; da Justina Ireland, Writing in the Margins; e da Corinne Duyvis, #ownvoices, representam apenas alguns dos muitos movimentos que estão mudando o jogo dentro da comunidade YA neste momento. Olhando pra frente, adoraria ver ainda mais pesquisas, diversidade interseccional de autores sub-representados.

Em Os 27 crushes de Molly, alguns personagens de Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens fazem uma pequena participação. Você está escrevendo um universo onde todos seus livros estão conectados?
Meus primeiros três livros estão conectados! Os 27 crushes de Molly é um livro companheiro solto para Simon. Leah On the Offbeat [previsto para ser lançado em abril de 2018, nos Estados Unidos] é muito mais uma sequência direta de Simon, embora seja escrito pelo ponto de vista de Leah.

O que podemos esperar de Leah On the Offbeat, seu terceiro livro?
Leah On the Offbeat revisita Leah, Simon e amigos enquanto eles vivem seus últimos meses de ensino médio juntos. Os leitores podem esperar romances desordenados, mudança de dinâmica de amigos, adeus difíceis e uma noite de baile muito inesquecível.

 (Intrínseca/Reprodução)

Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens vai estrear nos cinemas ano que vem. Como foi para você ver seus personagens ganharem vida na telona?
Todo o processo foi absolutamente surreal. Estou tão apaixonada pelo filme. Eu tive a oportunidade de ver uma versão inicial, e isso me deixou de cara. Ele captura perfeitamente o coração do livro, e o Simon de Nick Robinson é de um nível extra de incrível. Foi incrível ver sua família e amigos ganharem vida.

A família do Simon é incrível. Eles são inspirados por sua própria família?
A família de Simon não é exatamente como a minha família, mas, como o Simon, sou muito próxima de meus pais e irmãos. O pai de Simon é diretamente baseado em meu pai, o que significa que meu pai gosta de ler todas as resenhas para ver o que as pessoas pensam dele!

O elenco de Love, Simon traz nomes como Josh Duhamel, Jennifer Garner, Katherine Langford e Nick Robinson. Como foi trabalhar com eles? Foi a sua primeira vez em um set de filmagem?
O elenco de Love, Simon é incrível. Foi a minha primeira vez em um set de filmagem. Josh Duhamel é tão simpático e encantador. Jennifer Garner foi calorosa e gentil, e ela é claramente uma mãe maravilhosa. Katherine Langford é tão doce. Nick Robinson é bem hilário e absolutamente adorável.

Como foi para trabalhar com Isaac Aptaker e Elizabeth Berger no roteiro para a adaptação de Simon para o cinema?
Isaac e Elizabeth têm o crédito total por esse roteiro incrível, embora eles tenham me dado a oportunidade para dar um feedback. Eu tinha tantas sugestões, porém, eles arrasaram!

 (Intrínseca/Reprodução)

Sabemos que os livros podem mudar vidas. Você recebe mensagens de fãs dizendo isso? Como é seu relacionamento com seus fãs? Existe alguma história especial que você possa compartilhar conosco?
Recebi tantas mensagens dos leitores ao longo dos anos, e isso significa o mundo para mim. Muitas vezes eu recebo cartas de adolescentes gays que foram inspirados por Simon para contarem para o mundo que são homossexuais ou que ainda não conseguem fazer isso, mas se sentem menos sozinhos por causa de Simon. Recentemente, ouvi falar de leitores que se sentiram melhor em seus corpos depois de ler Os 27 crushes de Molly, ou que conversaram com seus médicos sobre medicação de depressão ou ansiedade depois de ver Molly tomando Zoloft. Eu absolutamente amo me conectar com meus leitores – é a minha parte favorita do trabalho.

Você tem recomendações de outros livros que se concentram em representação e diversidade?
Muitos! Alguns favoritos recentes: DEAR MARTIN, de Nic Stone; THEY BOTH DIE AT THE END, de Adam Silvera; WARCROSS, de Marie Lu; e TOP TEN, de Katie Cotugno.

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s