A história por trás de grandes hinos LGBTQ+

Para comemorar o Mês do Orgulho LGBTQ+, músicas que inspiraram (e muito) a comunidade

I WILL SURVIVE – GLORIA GAYNOR (1978)

Vamos começar pelo hino dos hinos? A música de Gloria Gaynor fala sobre ser independente e autoconfiante, por isso foi muito usada pela comunidade gay dos anos 70 – e segue sendo cantada até hoje! “Eu vou sobreviver!/Enquanto souber como amar/Sei que permanecerei viva”, diz a cantora. HINO!

FIREWORKKATY PERRY (2010)

A cantora até tem outras faixas com uma pegada gay (tipo I Kissed a Girl), mas a que realmente pegou a comunidade LGBTQ+ foi Firework, que fala sobre se aceitar do jeito que você é. Ah, o clipe mostrava até um beijo gay, lembra?

I WANT TO BREAK FREE – QUEEN (1984)

Você sabia que a música mais gay do Queen não foi escrita por Freddie Mercury? A letra é do John Deacon, o baixista da banda, mas é considerada um hino para a comunidade LGBTQ+. O clipe, com a banda toda montada de mulher, foi um dos mais icônicos dos anos 80.

BORN THIS WAYLADY GAGA (2011)

A Mother Monster contou à Billboard que queria criar um “hino da liberdade” e não deu outra: ela escreveu Born This Way, que abraçou totalmente a causa LGBTQ+. “Não importa se é gay, hétero ou bi/Lésbica ou transgênero/Estou no caminho certo, baby/Eu nasci para sobreviver”, diz um dos trechos mais icônicos da faixa.

FREEDOM ’90 – GEORGE MICHAEL (1990)

Muita gente pensa que a faixa foi a forma que o cantor escolheu para sair do armário, mas ele explicou que, na verdade, a música é sobre tentar se libertar da imagem do Wham!, sua antiga banda. De qualquer forma, a temática de liberdade tem tudo a ver com a comunidade gay, né?

WILD – TROYE SIVAN (2015)

O cantor nunca escondeu que era gay e essa faixa é emocionante, pois é uma carta escrita a um amante proibido de Troye. A história é linda, porém bem triste.

Y.M.C.A. – VILLAGE PEOPLE (1978)

Muitos acreditam que música fala sobre o fato da academia ser considerado um lugar para ~encontros picantes~ no passado. Assim como muitas outras músicas dessa lista, ela não foi escrita para ser um hino gay, mas é impossível não separá-la do movimento.

STRANGERSHALSEY FT. LAUREN JAUREGUI (2017)

A música, que foi lançada recentemente, fala sobre aquele sentimento de amar uma pessoa, mas não conseguir assumir seus sentimentos, sabe? O mais legal é que Halsey fez questão de manter somente pronomes femininos da letra, para deixar bem claro que se trata de um amor lésbico.

TRUE COLORS – CYNDI LAUPER (1986)

A canção fala sobre ver a “cor verdadeira” das pessoas e é emocionante por isso. Cyndi Lauper sempre foi uma grande defensora dos direitos LGBTQ+ e chegou a fazer turnês beneficentes para arrecadar fundos para a comunidade. Ela até abriu a fundação True Colors Fund para tentar tirar jovens LGBTQ das ruas.

FUCK YOULILY ALLEN (2009)

A faixa foi escrita para o presidente George W. Bush, mas ganhou outro significado depois que uma emeda constitucional contra o casamento gay (a Prop 8) foi aprovada na Califórnia. Na época, membros da comunidade LGBTQ+ gravaram vídeos com a faixa como trilha sonora como meio de protesto. Por sorte, a proibição foi suspensa em 2013.

VOGUEMADONNA (1990)

É difícil escolher uma só música da Madonna para representar o movimento LGBTQ+, mas Vogue é, sem dúvida, muito inspirada pela cultura dessa comunidade e toca muito até hoje nas baladas com a bandeira de arco-íris do lado de fora.

INSPIRED – MILEY CYRUS (2017)

A nova música de Miley é uma ode à necessidade de mais amor no mundo. Ela lançou a faixa oficialmente na semana passada e, como homenagem à comunidade LGBTQ+, os lucros angariados com as vendas do single serão revertidos para a ONG Happy Hippie Foundation, que ajuda jovens da comunidade gay e moradores de rua.

BEAUTIFULCHRISTINA AGUILERA (2002)

Beautiful, lançada em 2002, fala sobre se sentir lindo mesmo não se encaixando em determinado grupo ou lugar. O clipe, que contava com um casal gay e um transgênero, ganhou o prêmio GLAAD Media. Merecido, né?

TODO DIA – PABLLO VITTAR (2017)

Uma das maiores representantes do movimento drag queen da atualidade, Pabllo Vittar sambou na cara de todo mundo nesse carnaval com a música que contou com a parceria de Rico Dalasam. Empoderamento para todos!

RAISE YOUR GLASS – P!NK (2010)

A música de P!nk pede um drink de apoio às minorias e àqueles que sentem que não se encaixam. O clipe foi superelogiado por mostrar cenas de um casamento gay. Fofo!

I’M COMING OUT – DIANA ROSS (1980)

Nile Rodgers e Bernard Edwards, os compositores da música, se sentiram inspirados após ver três drag queens imitando Diana Ross em uma boate em Nova York. A cantora quase não lançou a faixa, mas foi convencida pelos amigos e o hit bombou!

E aí, qual dessas é a sua preferida?

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Olá pessoal. Deem uma passadinha no meu canal para conferir. Ele é novo e estou só no comecinho ainda, mas vai que você se identifica um pouquinho comigo ♥

    Venha conferir o DE PORTAS ABERTAS. Eu estou aqui, só esperando você entrar e se sentar.

    Curtir