Continua após publicidade

Orlando Bloom é o novo Johnny Depp?

Johnny Depp é tudo. Esquisito, sujo, malvado, ninguém inventou um pirata mais bizarro do que ele, certo? Ei, mas o que seria de Depp sem Bloom?

Por Da Redação Atualizado em 24 ago 2016, 23h49 - Publicado em 17 dez 2015, 19h15

Um pouco dos elogios à interpretação de Johnny Depp como o capitão Jack Sparrow se deve ao companheiro de filmagem Orlando Bloom. Porque aquela maquiagem carregada e os trejeitos engraçados do pirata de Depp que hipnotizam a gente ficam ainda melhores ao lado do jeito meigo e ponderado que Bloom encontrou para fazer o seu mocinho, Will Turner. Orlando Bloom é o contraponto perfeito ao exagero da figura de Depp.

E foi assim que começou a nossa entrevista em Los Angeles. Bloom falando de Depp. Vestindo calça jeans e camiseta branca, o ator topou comentar tudo – até o momento lua-de-mel que vive com Kate Bosworth. Isso, contra a vontade do agente dele, que não queria perguntas pessoais. Vai saber… Coisa de pirata, a rebeldia de Bloom.

Você se inspirou em alguém para construir o seu Will Turner?

Na verdade eu me inspirei no Johnny Depp. Quando eu vi que ele ia criar uma coisa tão especial, como ele acabou mesmo criando, achei que o melhor que eu tinha a fazer era aproveitar isso e fazer o meu personagem ser o oposto do dele, assim os dois se complementariam, junto com a Elizabeth nervosa que a Keira criou.

Você acha que este filme tem alguma mensagem? Trata de piratas, que por natureza desafiam as regras, não?

Com certeza, este segundo filme se passa numa época em que os piratas já estavam quase desaparecendo. Acho que muita gente, ainda mais nesta nossa época atual, em que as mudanças acontecem tão rapidamente, se sente como se estivesse atrasada, como se não fizesse parte do mundo. Os piratas são rebeldes por natureza, e isso sempre vai existir em qualquer sociedade, de uma forma ou de outra.

Nesta seqüência de Piratas do Caribe, seu personagem fica bem mais complexo, não?

Sim, acho que a introdução do pai dele foi sensacional, deu uma dimensão a mais ao personagem, o que é sempre muito interessante para um ator. Mas o que eu mais gostei de verdade neste filme foi usar uma bota de pirata e um casaco de couro que são mil vezes melhores que aquela roupinha justa do primeiro filme [risos].

E você pode adiantar alguma coisa que acontece no terceiro filme?

Continua após a publicidade

Eu ainda não sei muito, porque gravamos um pedaço, mas ainda falta um tanto. Sei que o meu personagem vai ficando cada vez mais cheio de conflitos, acho que algumas características do Jack Sparrow acabam sendo transferidas para ele.

Você é um dos poucos atores que fizeram parte de duas trilogias muito bem-sucedidas: Senhor dos Anéis e agora Piratas do Caribe. Como você compara as duas experiências?

Senhor dos Anéis já começou sendo uma trilogia, então os atores e toda a equipe já estavam preparados para passar um bom tempo longe de casa e com o mesmo personagem. Eu me lembro de ter me sentido como em uma pós-graduação. Fiquei 18 meses na Nova Zelândia, sem voltar pra casa. Com Piratas, era só um filme, que fez tanto sucesso que virou uma trilogia.

No final do filme, o seu personagem vê a noiva beijando outro homem. Como você reagiria se isso acontecesse na vida real?

Continua após a publicidade

Eu joguei muito rúgbi na vida, então sou magrinho, mas sei derrubar um cara [risos].

Você tem passado muito tempo em Los Angeles por causa da Kate Bosworth. Você pensa em se mudar para cá e ficar com ela de uma vez?

Não sei. Minha casa ainda é na Inglaterra. É lá que estão minha família, meus amigos.Não penso em me mudar de lá tão cedo.

Você conseguiu surfar no Caribe?

Não, quase não tem ondas por lá. Aliás, essa é a graça das praias do Caribe: a água quente e segura para todo mundo nadar, apesar de algumas pessoas terem visto tubarões.

O que você faz para relaxar?

Eu não sou muito bom de relaxar, quando tenho tempo livre fico namorando ou então arrumo logo alguém para jogar xadrez comigo. Eu ensinei o Johnny Depp no set, mas ele não conseguiu ganhar de mim nenhuma vez.

Você tem algum hobby, uma mania?

O meu avô era obcecado por relógios, e acho que herdei essa mania. Adoro, coleciono, conheço as marcas, planejo qual eu vou comprar em seguida.

O que você leva com você quando vai para uma filmagem longe de casa?

Não vou a lugar nenhum sem meu iPod, meu tabuleiro de xadrez e meus DVDs.

Quais você levou desta vez?

Eu tenho uma coleção imensa de DVDs, e tenho outra mania que me ocorreu agora: ver os filmes várias vezes. Desta vez, eu levei muitos filmes antigos de bangue-bangue e também o DVD do seriado The Office, que é o meu preferido atualmente. Fiz uma ponta em um episódio em Londres, mas não foi ao ar ainda.

Publicidade