Anitta é incrível, mas vamos falar sobre a relação dela com funcionários

Anitta, mais uma vez, mostrou ser a ~patroa~ em documentário. Mas, é necessário repensarmos alguns comportamentos da cantora

Por Da Redação Atualizado em 17 dez 2020, 14h29 - Publicado em 17 dez 2020, 12h59
colecao capricho sestini mochila bolsas
CAPRICHO/Sestini/Reprodução

Não há dúvidas: Anitta é incrível. A cantora é uma das artistas mais reconhecidas em nosso país e fora dele, contando com parcerias internacionais de dar orgulho, como a com Madonna.

Em sua nova série documental para a Netflix, Anitta: Made In Honório, nós acompanhamos várias dessas conquistas dela e vemos todo o seu poder. Aliás, nós (e os fãs, como vemos nos comentários abaixo) ficamos até emocionadas com o relato mostrado no primeiro episódio, em que a artista, em 2012, comentou que ainda seria admirada pelo mundo inteiro.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

A ~profecia~ deu certo. E todo o talento indiscutível de Anitta merece ser aplaudido. Como a própria Ani previu, ela chegou lá. Agora, apesar de ser extremamente importante ver uma mulher nessa posição de poder, é importante também analisar algumas atitudes da artista com relação aos seus funcionários.

Durante a coletiva de imprensa que antecedeu a estreia do doc, a cantora reconheceu que talvez acabasse, de fato, sendo mal interpretada pelo público por suas atitudes. “Eu acho que o cancelamento vem, mas não estou muito preocupada. Depois do 40º não faz mais diferença. A gente trocou de produtora e conversei muito com o pessoal. Falei: ‘Vamos mostrar a pessoa que eu sou, com defeitos e qualidades’ e eles respeitaram esse desejo. Tem partes que eu assisto e falo ‘que horrível’. Eu só pedi para que mostrassem o motivo dos meus surtos em vários momentos para que as pessoas entendessem”, pontuou.

  • Um dos “surtos” mais comentados no Twitter foi o com a equipe de figurino, que aparece no episódio Bastidores. Anitta está descontente com as roupas escolhidas para o Rock In Rio 2019 e faz uma ligação para a equipe bem tensa. “Eu chego aqui e não tem nada pronto. Quem resolve? Eu! Que enfio uma tora no meu c* e tenho que fazer sozinha! Agora, eu quero falar para vocês que vou enfiar no de vocês. Porque toda vez vocês falam que eu sou grossa, que eu sou escrota, então eu sou mesmo“, promete. Abaixo, assista ao vídeo desse momento:

    Continua após a publicidade

    Apesar desse ter sido o mais falado, há também as brigas com o maquiador e com os dançarinos, ameaças de demissão e troca de ofensas. “Nossa, eu tinha muito medo dela. Agora esse medo passou um pouco. Ainda rola”, comentou a bailarina Melissa Brust.

    Já Renner Souza, que é o maquiador, ressaltou:  “Ela me demite todos os dias, me manda embora. Inclusive, tem imagens aí. Aí, eu vou embora. Daqui a pouco, ela chega no hotel e fala: ‘Amigo, vem dormir comigo'”. Arielle Macedo, dançarina da cantora e uma das suas melhores amigas, explicou: “Quando você conhece a Anitta fora do trabalho, a Larissa, você entende porque ela precisa ser desse jeito. É para as coisas acontecerem. É uma tomada de liga e desliga. Ela está no trabalho, discute com você. Te manda tomar no c*. Terminou o trabalho, ela fala: ‘Vamos lá para casa?’.

    Abaixo, o vídeo da briga entre Anitta e Renner:

    Continua após a publicidade

    Renan Macedo, irmão de Anitta, pontuou que, de fato, esse é um defeito da artista. “Um dos piores defeitos dela, que para quem trabalha com ela sofre para c***lho, é que ela não sabe demonstrar que ela gosta do seu trabalho; demonstrar que quando alguém faz algo certo, ela tá ali, que ela gostou e que ela está satisfeita com o seu trabalho. É o jeito dela. Ela acha que a pessoa está entendendo. Só que se ela não demonstrar, a pessoa vai falar, eu faço, eu me mato e morro por ela e ela não está nem aí para mim”.

    Para contrabalancear as críticas, é necessário também que a gente leve em consideração um ponto levantado por Will.i.am (você pode ver a conversa entre os cantores no tuíte abaixo). Será que se Anitta fosse homem, esse lado autoritário seria visto como algo ruim pelo público? Ou como algo normalizado?

    Porém, apesar de a mulher ser analisada com muito mais minúcias que os homens por nossa sociedade patriarcal, não podemos usar o feminismo como argumento para defender mulheres em posição de poder de menosprezar funcionários e tratá-los como inferiores.

    Continua após a publicidade

    Afinal, independente de tudo, gênero ou personalidade, como foi a explicação de Renan Macedo, esse tipo de verborragia é errado. Inclusive, pode acabar se enquadrando na categoria de assédio moral no trabalho, que, segundo a lei, refere-se a “ação, gesto ou palavra, praticada de forma repetitiva por […] qualquer pessoa que, abusando da autoridade que lhe confere suas funções, tenha por objetivo ou efeito atingir a autoestima e a autodeterminação do servidor”. Veja algumas reações do público:

    Continua após a publicidade

    Continua após a publicidade

    Continua após a publicidade

    No site Jusbrasil, que você encontra informações jurídicas gratuitas, eles explicam que o assédio moral tem como consequência sérios danos psíquicos à vítima. A publicação, então, expõe que estudos realizados por Marie-France Hirigoyen, publicados no livro Assédio Moral: A Violência Perversa no Cotidiano, apontam que as vítimas dessa violência, de início, sentem estresse, ansiedade, depressão, distúrbios psicossomáticos. E, em casos mais graves, podem chegar a até sofrer de estresse pós-traumático. Ou seja, isso é muito sério e não deve ser tratado como forma de entretenimento na série.

    Anitta merece toda a nossa admiração por suas conquistas e é incrível. Mas esses episódios com os funcionários dela, infelizmente, são o oposto disso.

    Continua após a publicidade
    Publicidade