Google: as buscas do ano provam que o brasileiro não aguenta mais sofrer

"Quando as coisas vão enfim melhorar?" - Google, por favor, pesquisar!

Por Isabella Otto Atualizado em 10 dez 2021, 10h52 - Publicado em 11 dez 2021, 10h03

Todo final de ano rolam retrospectivas dos mais diversos assuntos e, com relação ao Google, não é diferente. O buscador divulgou as Buscas do Ano 2021. Com relação a assuntos como entretenimento, não tem erro: Marília Mendonça, Karol Conká, Round 6 e BBB21 lideraram as pesquisas. As Olimpíadas também ficaram bem ranqueadas, com Rebeca Andrade no topo das buscas. Mas o foco aqui vai ser outro.

Logo do Google preso a uma parede de cimento. Ele é neon e tudo colorido
Beata Zawrzel/NurPhoto/Getty Images

É difícil dizer se 2021 foi melhor que 2020, porque depende muito da realidade de cada um, mas foi, novamente, um ano bastante complicado, não dá pra negar. Por exemplo, na categoria “Quanto custa”, a principal busca do ano foi: “Quanto custa um cilindro de oxigênio”. Pesado, né? Nossa!

A categoria “Como ser” não fica muito atrás, provando que os brasileiros não aguentam mais sofrer, seja por conta da pandemia, da situação do país, ou por conta de amores e decepções. “Como ser uma pessoa fria” foi a principal pesquisa do ano, e “Como ser mais confiante” e “Como ser mais inteligente” vieram logo atrás.

+: A volta do feed cronológico é uma promessa do Instagram para 2022

Algumas buscas, contudo, serviram para deixar o clima mais leve, como, por exemplo, as pesquisas sobre os termos “cringe” e “basculho”. Acho que no final é isso: a gente precisa se lembrar que, apesar de tudo, tiveram momentos bons – o problema é quando até essas memórias boas são motivo de tristeza.

Mas, ei, a gente chegou até aqui, mesmo que aos trancos e barrancos. Isso já é MUITA coisa!

Continua após a publicidade

Publicidade