Uber traz novidades para incentivar que mais mulheres se tornem motoristas

Hoje, apenas 6% da frota é formada por pessoas do sexo feminino

Por Isabella Otto Atualizado em 25 out 2019, 21h26 - Publicado em 25 out 2019, 11h32

Na última quinta-feira, 24, a empresa Uber anunciou algumas novidades para incentivar que mais mulheres se tornem motoristas no aplicativo. Dos 600 mil cadastrados, hoje, apenas 6% desse número é de pessoas do sexo feminino. Com o programa #ElasnaDireção, em parceria com a Rede Mulher empreendedora, o App quer mudar essa realidade.

Makidotvn/Getty Images

“Ter uma fonte de renda em que as horas trabalhadas são definidas por ela mesma, como no caso de ser motorista parceira da Uber, favorece sua independência financeira”, explica Ana Fontes, pesquisadora da RME. Contudo, ela também ressalta que a mulher é aquela que mais sofre com o tempo, já que, na maioria das vezes, precisa conciliar o lado profissional com o familiar, que inclui cuidar da casa e, tantas vezes, dos filhos.

Claudia Woods, diretora geral da Uber no Brasil, ainda acrescenta outros fatores que fazem a mulher ser minoria na direção: dificuldade de ter acesso a um automóvel, falta de conhecimento de como se cadastrar no sistema e, o maior de todos eles, preocupações com sua segurança pessoal. Pensando nisso, a empresa lançou também, junto com o programa, uma ferramenta chamada U-Elas, em que a motorista consegue ativar e fazer com que receba apenas solicitações de mulheres no aplicativo. A nova função começa a ser testada inicialmente nas cidades de Campinas, Curitiba e Fortaleza, na primeira semana de novembro. “Para se sentirem mais seguras, elas poderão optar por levar apenas usuárias que se identificam como mulheres, sejam cis ou trans. A ferramenta U-Elas pode ser ligada a qualquer momento e estará disponível exclusivamente para parceiras mulheres”, explica Claudia.

Além disso, o programa #ElasnaDireção também vai garantir que as motoristas cadastradas no Uber tenham uma renda mínima entre R$ 1,5 e R$ 1,6 mil nas primeiras 100 corridas realizadas, e que tenham facilidades na hora de alugar um carro, por exemplo, com uma parceria fechada com a empresa Localiza Hertz.

Vale recordar que foi uma mulher a primeira “motorista 5 estrelas” do Uber no Brasil. Em 2018, Glaucia Stocki, do Paraná, conquistou o feito e ganhou vários mimos da empresa, como balinhas para colocar no carro, um copo térmico, um suporte para celular, uma carteira e, é claro, um troféu.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade