Transexualidade é retirada da lista de doenças mentais da OMS

Organização Mundial da Saúde acredita que casos de transfobia possam diminuir consideravelmente após a mudança.

Por Isabella Otto - Atualizado em 25 jun 2018, 17h15 - Publicado em 19 jun 2018, 11h55

A versão revisada e atualizada da Classificação Internacional de Doenças foi divulgada na última segunda-feira, 18, pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Conhecida como CID-11, ela mostra que a transexualidade foi retirada da lista de doenças mentais.

Bandeira do Orgulho Trans | Orgulho Transexual
Bandeira do Orgulho Trans | Orgulho Transexual Reprodução/Reprodução

Anteriormente tratada como um distúrbio mental, a transexualidade passa a ser tratada como uma incongruência de gênero. Ou seja, ela continua a fazer parte da CID, para que o debate sobre o assunto continue a ser realizado e para que as pessoas trans recebam todo o apoio legal necessário, mas passa a ser retratada de outra maneira.

De acordo com a OMS, essa mudança na classificação contribui para que haja uma mudança no tratamento recebido por essas pessoas, e consequentemente, uma diminuição considerável dos casos de transfobia.

Vale ressaltar mais uma vez que o Brasil é o país que mais mata transexuais e travestis no mundo, segundo dados divulgados pela ONG Transgender Europe, em 2016. Nesses dois anos, as taxas de assassinato não diminuíram.  Relembrando que a OMS retirou a homossexualidade da lista de doenças mentais em 1990, há 28 anos – ou há apenas 28 anos.

Continua após a publicidade
Publicidade