Repórter brasileira incomoda técnico do México, que se nega a respondê-la

Juan Carlos Osorio se sentiu ameaçado por uma mulher e fez o quê? Isso mesmo, se irritou e, em seguida, se calou.

Por Isabella Otto Atualizado em 2 jul 2018, 16h07 - Publicado em 2 jul 2018, 16h05

Não se deixe enganar pelo rosto de bom moço: Juan Carlos Osorio deu um show de machismo após ver a Seleção Mexicana de Futebol perder de 2 x 0 para o Brasil e ser desclassificada da Copa do Mundo 2018. Ao colocar a culpa do derrota em cima do árbitro principal, Osorio deu a entender que futebol é jogo de homem e que o italiano não foi ~macho~ o suficiente. “Futebol deve ser um jogo viril, de homens, de contato, e não com ‘palhaçadas'”, disse.

Getty Images/Getty Images

A afirmação do técnico ainda irritou muita gente que acredita que ele também tenha dado uma cutucada no futebol arte brasileiro, que, na voz do colombiano, é pura firula.

  • Mas não para por aí! Depois de ser misógino e contribuir para a cultura do machismo, ao dizer que futebol é esporte de menino, Osorio foi ríspido com uma jornalista de Belo Horizonte durante coletiva de imprensa que rolou após o jogo desta segunda-feira, 2, em Samara, na Rússia. A repórter questionou o fato de o técnico ter culpado a arbitragem pela derrota, especialmente o lance em que o juiz visivelmente apitou com razão uma falta em Neymar feita por Layún. “Vou respeitar sua opinião” foi a única coisa que Osorio conseguiu dizer ao ser questionado pela mulher. Aqui, temos um caso claro de um homem que se calou ao sentir sua masculinidade ser ameaçada por uma mulher competente, que, por sinal, estava com a razão. Quantas vezes isso já não aconteceu, principalmente em ambientes ainda dominados por homens?

    O problema não foi ter perdido. Isso faz parte do jogo. A questão é que ele não conseguiu desenvolver uma resposta à altura da pergunta da profissional e ainda destilou opiniões e atitudes machistas. Tsc, tsc#VemHexa!

    Continua após a publicidade
    Publicidade