‘Não acredito que um documentário sobre menstruação ganhou um Oscar!’

A diretora Rayka Zehtabchi destacou a importância do Oscar premiar um trabalho realizado por mulheres e sobre um assunto que ainda é tabu.

Por Isabella Otto - Atualizado em 25 fev 2019, 13h34 - Publicado em 25 fev 2019, 11h48

Na cerimônia do Oscar que aconteceu no último domingo, 24, uma surpreendente vitória deixou a noite com um gostinho ainda mais especial – e empoderador! A produção original Netflix Absorvendo o Tabu (em inglês, Period. End of Sentence.), venceu a categoria Melhor Documentário Curta-Metragem.

Reprodução/Reprodução

Dirigido por Rayka Zehtabchi, uma americana descendente de iranianos, e produzido pela americana Melissa Berton, o doc investiga uma pequena vila rural em Delhi, na Índia, onde mulheres ainda não sabem o que é a menstruação em si e a consideram algo pecaminoso.

“Não estou chorando porque estou menstruada ou coisa do tipo(…) Eu não acredito que um filme sobre menstruação ganhou um Oscar!”, comemorou a diretora ao receber a estatueta. Zehtabchi, Berton e as estudantes da Oakwood High School, que ajudaram na criação do curta, estavam concorrendo com trabalhos que abordavam temas como nazismo, refugiados e racismo.

Melissa Berton e Rayka Zehtabchi orgulhosas com suas estatuetas. Frazer Harrison/Getty Images

O documentário, que tem 26 minutos e está disponível na Netflix, retrata a realidade de mulheres que não sabem como usar absorvente nem nunca tiveram contato com um. Muitas, inclusive, ficam desconfiadas e com medo de usar o produto.

Foi bonito demais ver um documentário sobre menstruação receber um Oscar e ainda mais incrível ver o palco ser tomado apenas por mulheres!  

Continua após a publicidade
Publicidade