Mais de 3 mil golfinhos foram encontrados mortos no Peru nos últimos meses

A costa do Peru está sendo locação para uma cena sangrenta que, mais uma vez, tem dedinho humano no meio.

Por Isabella Otto 24 abr 2019, 11h00

Nos últimos três meses, mais de 3 mil golfinhos foram encontrados sem vida na costa do Peru, mais especificamente na região de Lambayeque, ao norte do país. Segundo o site Perú21, os percadores locais começaram a ficar assustados com as frequentes mortes e, justamente por isso, relataram o caso às autoridades.

Alex Kosev/Getty Images

Um famoso biólogo chamado Carlos Yaipen, que faz parte da Organização Científica de Conservação de Animais Aquáticos, foi convocado para estudar essa onda de mortes em massa. Após algumas análises, o especialista culpou as companhias de petróleo locais, que, segundo ele, estão interferindo na vida marinha.

  • De acordo com o pesquisador, as empresas usam frequências sonoras e visuais para localizar o óleo que não podem ser vistas ou sentidas a olho nu, mas que geram efeitos irreparáveis nos animais. “Pode causar a morte por impacto acústico, não apenas em golfinhos, mas também em focas e baleias”, explica Carlos.

    Outra possibilidade também está sendo trabalhada. De acordo com cientistas ingleses, essa vibração causada por “sonar” gera bolhas microscópicas de nitrogênio nas veias e em órgãos vitais dos animais marinhos, causando a morte de muitas espécies.

    As companhias petroleiras foram notificadas sobre a tragédia e espera-se que elas tomem rapidamente alguma atitude para reverter esse cenário. Ah, o dedinho humano… Como ele adora interferir na Mãe Natureza. 🙁

    Continua após a publicidade
    Publicidade