Frente fria no Sul e Sudeste é gerada por ciclone bomba que atinge regiões

Saiba o que são os famosos ciclones bombas, que já haviam atingido a região Sul do Brasil no mês de julho

Por Isabella Otto 15 set 2020, 12h38

Os moradores da região Sul e Sudeste do Brasil sentiram uma brusca queda de temperatura. Em alguns lugares, como em São Paulo, os termômetros registraram uma diminuição de 10º num curto espaço de tempo, entre a noite da última segunda-feira, 14, e a manhã desta terça, 15. Tudo isso é consequência de um ciclone bomba que atinge as regiões.

Segundo informações do Clima Tempo e da Marinha, com a chegada do fenômeno natural podem ser registradas chuvas torrenciais, principalmente mais na faixa Sul do país. Na região de Minas Gerais, o ciclone já perde força. Na quarta-feira, 16, as temperaturas já devem subir novamente. “Teremos uma passagem de uma frente fria associada com um ciclone extratropical que poderemos chamar de ciclone bomba por causa da queda brusca em um período de 24 horas”, explicou o meteorologista Heriberto dos Anjos ao jornal O Tempo.

  •  

    Os ciclones que ocorrem no Brasil, especial na região Sul brasileira, são classificados como “bomba”, que significa a mesma coisa que extratropical. Eles estão sempre associados à chegada de uma frente fria e se formam justamente por esse contraste de massas de ar frias e quentes. O apelido “bomba” é porque são intensos e rápidos, durando menos que ciclones tropicais, mas causando grandes estragos.

    Continua após a publicidade
    Publicidade