Fake news: o que são essas notícias falsas e como identificá-las

Sabia que mais de 10 milhões de pessoas compartilham notícias falsas na internet vendendo-as como verdades absolutas? Abre o olho!

Por Amanda Oliveira - 16 out 2018, 16h40

Você provavelmente já deve ter visto algumas notícias suspeitas sendo compartilhadas nas redes sociais e até em grupos do WhatsApp, principalmente sobre política. Às vezes, você pode nem perceber a presença delas, mas as fake news estão cada vez mais comuns na internet.

Isso acontece porque muita gente não confirma a veracidade da informação antes de passá-la adiante. De acordo com um levantamento feito pelo Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas para o Acesso à Informação (Gpopai), da Universidade de São Paulo (USP), cerca de 12 milhões de pessoas compartilham notícias falsas somente nas redes sociais.

GIPHY/Reprodução

A questão é que produzir fake news já pode ser considerado crime contra a honra. Dois projetos de lei estão sendo desenvolvidos para punir tanto quem produz as notícias falsas quanto quem as compartilha, mesmo sem intenção, prejudicando pessoas, saúde, segurança, economia ou processo eleitoral – este último é o mais comum entre os casos. Os projetos são o 6.812/2017, do deputado federal Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) e o 473/2017, do senador Ciro Nogueira (PP-PI).

Por isso, é tão importante tomar cuidado para não cair nessa armadilha! Para te ajudar a entender melhor o assunto, a CAPRICHO separou algumas questões relevantes:

Continua após a publicidade

1. O que são as fake news?
As notícias falsas são invenções criadas e compartilhadas por sites duvidosos e até mesmo páginas nas redes sociais. Elas podem abordar diferentes assuntos, desde doenças, crimes e até políticos. Um outro meio de propagação de fake news bastante comum é o clássico grupo de familiares no Whatsapp, já que as pessoas iniciantes no mundo tecnológico costumam acreditar mais facilmente nas coisas que leem na internet.

2. Como identificá-las?
A primeira coisa que você deve fazer quando encontrar uma notícia suspeita na internet é checar as fontes. Aquele texto tem uma fonte confiável? A informação contida nele está sendo reproduzida por outros veículos sérios? Se a resposta for não, significa que tem algo errado. Desconfie!

iStock/clu/Reprodução

3. Onde elas são mais compartilhadas?
Muitas das fakes news começam em grupos do WhatsApp, sendo textos ou até mesmo supostos “áudios vazados” de delegados, políticos e outras pessoas que podem facilmente ter a voz forjada. Depois disso, as notícias falsas passam para as redes sociais, principalmente o Facebook.

4. Como combatê-las?
Antes de compartilhar a notícia, verifique se as fontes são confiáveis, se a informação está sendo publicada em outros veículos sérios, se o texto parece mais opinativo que informativo e se a notícia está atacando alguém. E o mais importante: leia a notícia antes de republicá-la.

Se você ver alguém compartilhando fake news, avise! Além de ser crime, também pega mal para a pessoa que está reproduzindo mentiras, né?

Publicidade