Equipe masculina de League of Legends zomba de equipe feminina em torneio

A reação de alguns jogadores de LoL brasileiros? "O pessoal anda chato mesmo", disseram eles. Agora machismo e desrespeito viraram chatice...

Por Isabella Otto 18 fev 2019, 16h01

Apesar de a comunidade gamer estar bastante equiparada no sentido de quem consome jogos, com o público masculino e feminino bastante dividido, o machismo nesse meio continua grande. E com a ascensão do eSports, as coisas estão se tornando mais “profissionais” e escancaradas,

Reprodução/Reprodução

No último sábado, 16, a equipe ROX tomou uma atitude pouco esportiva e vista por muitos como machista durante a liga oficial de League of Legends da Comunidade dos Estados Independentes. Na primeira rodada da competição, o time enfrentou a equipe Vaevictis Esports, formada majoritariamente por mulheres. Os jogadores da ROX, então, decidiram tirar todos os cinco personagens da partida da função Suporte.

  • Se você não é familiarizado com o universo LoL, saiba que a função suporte é vista por muitos como uma das mais simples. E, segundo tantos jogadores homens, meninas que curtem o game geralmente jogam sempre nessa função – justamente por ser mais fácil. É claro que essa conclusão foi tirada por eles e não tem nenhum embasamento teórico.

    Logo, a atitude dos caras da ROX foi vista como uma provocação e uma tiração de sarro das adversárias, já que, conforme eles desativavam a função suporte, davam risinho da “piada interna”. As meninas, constrangidas, também riram, mas de nervoso.

    Na internet, vários usuários se pronunciaram sobre o ocorrido, inclusive Felipe Gonçalves, conhecido no mundo do LoL como BRTT, um dos jogadores brasileiros mais famosos. “Quem riu disso aqui ou achou ‘de boa’, melhor procurar um especialista pra cabeça(…) porque, meu amigo, você é muito doente”, escreveu no Twitter.

    Continua após a publicidade

    Nos comentários da publicação, algumas meninas se pronunciaram dizendo que é por atitudes como essa (e tantas outras piores) que passaram anos da vida jogando com nicknames masculinos e se passando por meninos. Outros gamers, contudo, parecem continuar ignorando essa realidade e dizendo que “a galera só quer lacração” ou “reação assimétrica em relação aos caras, parece que eles mataram alguém“, e ainda “povo se ofende com tudo” e “pessoal anda chato mesmo”. Pra vocês verem como o machismo no mundo nerd e gamer é estrutural e bem mais preocupante do que parece. Se você acha mimimi, é porque você não entendeu nada, amigão, e visivelmente o machismo não respinga em você.

    A Riot não se pronunciou sobre o caso.

    Continua após a publicidade
    Publicidade