Eco-ansiedade afeta sobretudo jovens de 16 a 25 anos; conheça o transtorno

As mudanças climáticas afetam cada vez mais a saúde mental da população

Por Da Redação Atualizado em 7 jun 2022, 14h22 - Publicado em 7 jun 2022, 14h21

A Associação Norte-Americana de Psicologia foi a responsável por divulgar, pela primeira vez, em 2017, um estudo falando sobre a eco-ansiedade.

Segundo a APA (American Psychology Association), o termo designa “o medo crônico de sofrer um cataclismo ambiental que ocorre ao observar o impacto, aparentemente irrevogável, das mudanças climáticas gerando uma preocupação associada ao futuro de si mesmo e das gerações futuras”.

Ilustração de duas mãos sinalizando o planeta Terra ao centro
ina9/Getty Images

No artigo Mental health and our changing climate: impacts, implications and guidance, especialistas explicam que não há um tratamento específico para o transtorno, mas, por se tratar de uma variação da ansiedade, o paciente deve fazer acompanhamento médico e, eventualmente, fazer uso de medicação.

Jovens entre 16 e 25 anos são os mais afetados pela eco-ansiedade, sendo que 39% da Gerazão Z hesitam em ter filhos por causa das catrástrofes climáticas, de acordo com levantamento publicado pela revista científica The Lancet.

No vídeo a seguir, apresentado pela repórter e editora de comportamento da CAPRICHO, Isa Otto, você aprende mais sobre o transtorno:

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por CAPRICHO (@capricho)

Continua após a publicidade

Publicidade