Covinhas são fofas, mas você sabia que elas não deveriam existir?

Obrigada, ciência, por esse erro genético!

Por Da Redação - Atualizado em 21 Maio 2018, 17h28 - Publicado em 12 ago 2017, 14h43

Quando você se depara com os gifs abaixo, fica ainda mais difícil acreditar que as tão fofas covinhas sejam, na verdade, um baita erro genético!

Reprodução/Reprodução

Pois é, Harry, mas é verdade. De acordo com a ciência, as covinhas podem ser consideradas um defeito congênito, já que significa que a pessoa tem alguma falha no tecido conjuntivo subcutâneo. Ou seja, na camada base da pele.

Reprodução/Reprodução

Ariana, estamos tão pasmas quanto você! De acordo com a bióloga Karlla Patrícia, doutora em zoologia pelo Museu Nacional da UFRJ, “as pessoas que têm covinhas apresentam o músculo menor em comprimento em relação às pessoas que não têm covinhas”. Mais uma evidência de que o buraquinho não passa de um erro.

Reprodução/Reprodução

Mas que erro abençoado, não é mesmo, Jared?! As covinhas são a prova de que nem toda má-formação genética é realmente ruim ou prejudicial. E não tem nada a ver com sorte, viu? Tudo é, mais uma vez, uma questão científica do gene dominante. Então, se um de seus pais tem furinhos nas bochechas, há grandes chances de você também ter.

Reprodução/Reprodução

Então, cientificamente falando, sim, covinhas são um erro. Contudo, é impossível negar que elas são uma das coisinhas mais fofas do mundo! Como resistir a um sorriso que forma um, dois ou mais buraquinhos nas laterias do rosto?

Reprodução/Reprodução

A resposta é: não dá, Camila. Não dá! <3

E você, tem covinhas? Também acha um charme?

 

Continua após a publicidade
Publicidade