Cassação de Arthur do Val é aprovada; ex-deputado perde direitos políticos

Por unanimidade, Alesp aprovou a cassação do parlamentar após áudios sexistas feitos por ele sobre mulheres ucranianas vazarem

Por Isabella Otto Atualizado em 17 Maio 2022, 18h50 - Publicado em 17 Maio 2022, 18h45

A cassação de Arthur do Val (União Brasil) foi aprovada pela Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) na tarde desta terça-feira (17) por unanimidade. Com a decisão, o parlamentar perde seus direitos políticos por oito anos, de acordo com a Lei da Ficha Limpa.

Foto de Arthur do Val. Ele é um homem branco, de meia idade, com barba e usa terno
Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo/Divulgação

Durante sessão, Paulo Henrique Franco Bueno, advogado de Arthur, conhecido nas redes sociais como Mamãe Falei, tentou alegar que os conteúdos vazados que levaram seu cliente a ser cassado eram privados e, portanto, haviam sido compartilhados de maneira ilegal.

Os conteúdos privados em questão são áudios que o ex-deputado estadual enviou para um grupo de amigos no WhatsApp, fazendo comentários sexistas sobre as mulheres ucranianas. “São fáceis porque são pobres” foi uma das declarações feitas. O parlamentar havia viajado para a Ucrânia para, segundo ele, “praticar uma ação humanitária” no país, que está em guerra com a Rússia.

 

Os áudios acabaram vazando e o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou então o pedido de cassação do mandato de do Val. Na tentativa de fugir da cassação, o político decidiu renunciar ao cargo, alegando na época que estava “sendo vítima de um processo injusto e arbitrário dentro da Alesp”.

Continua após a publicidade

Publicidade