Casinha Games: governo investe R$ 4.6 milhões em projeto que ninguém sabe

Quase toda verba do Fundo Nacional da Cultura foi destinada para uma iniciativa tipo caviar: "Nunca vi nem comi, eu só ouço falar"

Por Isabella Otto Atualizado em 16 set 2021, 14h50 - Publicado em 16 set 2021, 14h47

Faz uma semana que o governo Bolsonaro investiu R$ 4.6 milhões em um projeto de cultura digital chamado Casinha Games. Na última quarta-feira, 8, André Porciuncula, a frente do posto de Secretário de Fomento e Incentivo à Cultura do Governo Federal, autorizou a transação. Verba destinada foi quase a totalidade do Fundo Nacional de Cultura disponível (em 2020, o total do orçamento disponível ficou em R$ 4.7 milhões). Os R$ 481 mil restantes foram direcionados para a manutenção do Patrimônio Histórico do país.

Print de documento que mostra que mais de quatro milhões de reais foram destinados pelo governo Bolsonaro a um projeto chamado Casinha Games, que ninguém nunca soube ou viu
Diário Oficial da União/Imprensa Nacional/Reprodução

A questão é que, até o momento, nenhuma instituição ou empresa com o nome Casinha Games foi identificada. Além disso, o presidente da República, Jair Bolsonaro, nem nenhum dos envolvidos nesse “investimento” se pronunciou oficialmente sobre o assunto – por ora, apenas “piadinhas” foram feitas nas redes sociais.

+: Como funciona a empresa de Renan Bolsonaro, filho do presidente

Mario Frias, Secretário Especial de Cultura do Governo Federal, disse no Twitter que foi ele que desenvolveu o tal programa “que está sendo criado por uma iniciativa pioneira”. Ele também falou que a iniciativa é pautada na “capacitação técnica e profissionalizante dos jovens de baixa renda, com o fim de criar condições para que os mesmos possam ingressar no mercado de trabalho. Será ensinado programação, design gráfico e outras atividades correlatas ao mercado digital”.

Montagem com as fotos de Mario Frias e Renan Bolsonaro. Atrás deles, a imagem de um controle de videogame
the_burtons/Andressa Anholete/GettyImages/Divulgação

Quando questionado sobre onde o povo poderia acompanhar o desenrolar do Casinha Games, o silêncio foi ensurdecedor. O político apenas usou o espaço para atacar opositores e aqueles que questionaram o valor exorbitante destinado a algo que ainda nem existe. “Mídia militante” e “bizarrices da esquerda”, escreveu Frias.

O secretário recentemente também usou as redes sociais para atacar o projeto de lei Paulo Gustavo, que viabiliza ações emergenciais de auxílio à cultura, conforme relata a Agência Senado. Só que usar quase toda a verba do Fundo Nacional de Cultura para uma iniciativa que, aparentemente, ainda nem saiu do papel pode? Humm…

Importante salientar que desde 2020 Mario Frias e outros nomes envolvidos no governo Bolsonaro têm realizado reuniões com Renan Bolsonaro, o “filho 04” do presidente, a fim de fomentar o e-Sports no Brasil. Renan é gamer, já chegou a ser suspenso do Twitch, plataforma de streaming, por violar os termos de uso, menosprezando a pandemia durante uma live, e está sob inquérito aberto pela Polícia Federal, em março deste ano, que investiga um suposto tráfico de influência de sua parte. A suspeita é a que que o filho mais novo do presidente tenha usado e use seu nome para agendar reuniões, fazer negociações e ser um “porta-voz” do governo para favorecer empresas privadas.

Continua após a publicidade
Publicidade