Canela faz descer? Vinagre atrasa a menstruação? Hibisco é abortivo?

Será que determinados alimentos têm mesmo o poder de interferir no ciclo menstrual?

Por Isabella Otto 30 ago 2021, 17h14
de um lado, o hidratante, o perfume e a máscara facial hello stars, dispostos lado a lado. De outro, as frases: Cada estrela é única, como você. Conheça a nova linha Hello Stars. Todos os elementos estão em um fundo azul escuro com estrelas que brilham
CAPRICHO/Divulgação

Basta fazer uma busca rápida na internet para encontrar todo tipo de matéria contando como alguns alimentos fazem a menstruação descer ou atrasar. De canela à vinagre, são muitas as receitas disponíveis por aí, mas será que elas são cientificamente comprovadas? Para entender todos os mitos e verdades acerca dessa questão, conversamos com a ginecologista e obstetra Fernanda Torras, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), da SMB (Sociedade Brasileira de Mastologia) e da ABCGIN (Associação Brasileira de Cosmetoginecologia).

À esquerda, uma xícara retro cheia de chá de canela. À direita, uma calcinha rosa pastel com uma machinha de sangue menstrual
Lejla Siljak/EyeEm e Basak Gurbuz Derman/Getty Images

Existem alimentos que têm o poder de interferir no ciclo menstrual, como a canela?

A resposta é sim, mas um conjunto deles e se consumidos de maneira equilibrada durante um período de tempo. Logo, tomar um monte de chá de canela ou boldo, além de ser perigoso para a saúde, podendo causar de alergias a danos hepáticos, não vai fazer a menstruação descer de forma milagrosa. “Dificilmente a ingestão de um alimento específico terá poder imediato de influenciar um ciclo menstrual, em quantidades baixas a moderadas. Nem mesmo o uso de hormônios pode cessar ou antecipar um ciclo menstrual, principalmente se já ocorreu a ovulação”, explica a doutora, que complementa a informação: “A boa alimentação e dieta equilibrada e rica em vitamina D, complexo B, pobre em açúcares e carboidratos, auxiliam no bom funcionamento do ciclo menstrual, fazendo, por exemplo, o tratamento de ciclos anovulatórios [marcado por menstruações irregulares com fluxo pouco frequente], restabelecendo a ovulação normal e regularidade dos ciclos menstruais. Esta resposta é a médio prazo, não restabelecendo um ciclo anormal de imediato. Ou seja, o uso de dieta rica nestes compostos não terá a manifestação imediata num ciclo pontual, sendo o efeito observado ao longo dos meses, regrando aos poucos e efeito mais lento”.

No caso específico da canela, o consumo do seu chá é propagado com o intuito de acelerar as contrações e antecipar o ciclo menstrual, mas Fernanda destaca que “não existe nenhum estudo em humano que comprova o potencial da canela em acelerar as contrações uterinas e fazer descer a menstruação, como pó, chá ou infusões”. Inclusive, se a gestação tiver realmente ocorrido, e a menstruarão estiver atrasada por causa disso, o consumo de canela pode apresentar riscos para o feto, justamente pela falta de evidência comprovada de segurança durante a gravidez, uma vez que estudos com óleo essencial de canela, para analisar o potencial abortivo do produto, só foram realizado em animais.

É verdade que o hibisco pode ser considerado um anticoncepcional natural?

Isso é mito. Na realidade, essa história surgiu porque, há muitos anos, algumas plantas medicinais são estudadas em animais para entender se elas podem influenciar na gestação com efeitos teratogênicos [alteração fetal] ou aumento das contrações uterinas com potencial abortivo. Entretanto, há uma carência de estudos científicos do tipo em humanos, como salienta a ginecologista, o que leva à falta de comprovação científica sobre o assunto.

  •  

    Continua após a publicidade

    “O hibisco é uma planta medicinal que tem propriedade antioxidante, relaxante, diurética, podendo aliviar cólicas menstruais, melhorar a TPM psicológica e o inchaço, mas não tem potencial cientificamente comprovado em interferir no ciclo menstrual, na ovulação e no fluxo menstrual. Assim, não está comprovado o potencial em antecipar ou atrasar a menstruação”, relata a especialista.

    Apesar de grávidas serem desaconselhadas a ingerir chá de hibisco, pelos riscos potencialmente apresentados ao feto, ele não chega a ser um abortivo natural – e essa fake news pode contribuir inclusive para que pessoas se submetam a métodos contraceptivos de baixa eficácia, como o coito interrompido, usando como respaldo a “garantia” do hibisco.

    +: Guia completo de como funciona o ciclo menstrual

    E o vinagre, pode “segurar” a menstruação?

    Recentemente, uma trend sobre o vinagre ter poder de atrasar a menstruação viralizou no TikTok. Contudo, de novo, não há estudos que comprovem isso. “O Vinagre tem características antioxidantes e anti-inflamatórias, leves e naturais. Categorias de medicamentos anti-inflamatórios são usadas para reduzir a intensidade de fluxos excessivos que acontecem por alguns distúrbios uterinos, mas não cessar o fluxo ou alterar a data do mesmo. Logo, sendo o vinagre uma substância natural e menos potente que um anti-inflamatório, também não atingirá tal resultado”, pontua a Dra. Fernanda.

    Importante destacar que, quando consumido em excesso por um período prolongado de tempo, o vinagre pode causar náuseas, vômitos, queimaduras internas, como na garganta, dificuldade de digestão, redução da quantidade de potássio no sangue e perda óssea, além de prejudicar o esmalte dos dentes, por ser um alimento ácido. “O uso de substâncias termogênicas em excesso podem levar também a taquicardias, arritmias em indivíduos predispostos e distúrbios de ansiedade”, alerta a médica, que finaliza com um recado mais do que necessário: “É muito importante passar em consulta com profissional da saúde antes de qualquer tipo de automedicação. Seja tomar remédio por conta própria, indicação de familiares e conhecidos, pesquisa pela internet e mesmo dicas de postagens nas redes sociais. É uma prática perigosa que pode trazer riscos à saúde e, em alguns casos, levar ao óbito“.

    Continua após a publicidade
    Publicidade